for immediate release - Copel

Resultados 3T15 Copel registra lucro líquido de R$ 91,4 milhões no trimestre Teleconferência de Resultados 3T15 12.11.2015 - 15h00 (horário de Brasíli...
3 downloads 144 Views 1MB Size

Resultados 3T15 Copel registra lucro líquido de R$ 91,4 milhões no trimestre Teleconferência de Resultados 3T15 12.11.2015 - 15h00 (horário de Brasília) Telefone para acesso (11) 3127-4971 (11) 3728-5971 Código: COPEL

O lucro líquido totalizou R$ 91,4 milhões no 3T15, montante 60,8% inferior aos R$ 233,4 milhões apurados no 3T14, enquanto que o LAJIDA atingiu R$ 299,2 milhões, redução de 39,7% em relação ao mesmo período de 2014. Esse resultado é reflexo da retração de 2,4% no mercado total da Copel (composto pelas vendas da Copel Dis, Copel GeT e parques eólicos), e de 31,2% no despacho da UTE Araucária frente ao mesmo período de 2014.

Receita Operacional Líquida (R$ milhões)

3T15

2T15

3T14

Var.%

9M15

9M14

(1)

(2)

(3)

(1/3)

(4)

(5)

Var. % (4/5)

3.245

3.909

3.287

(1,3)

11.391

9.456

20,5

114

448

325

(65,1)

1.278

1.496

(14,5)

91

302

233

(60,8)

863

1.065

(18,9)

LPA (Lucro Líquido por ação) - R$

0,33

1,10

0,85

(60,8)

3,16

3,89

(18,9)

LAJIDA (R$ milhões)

299

493

496

(39,7)

1.627

1.821

(10,6)

7,4%

(63,6)

17,1%

(24,1)

Resultado Operacional (R$ milhões) Lucro Líquido (R$ milhões)

Rentabilidade do Patrimônio Líquido (anualizada)¹ Fornecimento de Energia Elétrica (GWh)

2,7%

9,1%

13,0%

6.807

6.900

6.889

(1,2)

20.995

20.952

0,2

Programa de Investimentos² (R$ milhões)

587

535

850

(30,9)

1.589

1.850

(14,1)

Margem LAJIDA

9,2%

12,6%

15,1%

(38,9)

14,3%

19,3%

(25,8)

Margem Operacional

3,5%

11,5%

9,9%

(64,6)

11,2%

15,8%

(29,1)

Margem Líquida

2,8%

7,7%

7,1%

(60,3)

7,6%

11,3%

(32,7)

¹ Calculado considerando o Patrimônio Líquido inicial do exercício. ² Inclui aportes, adiantamentos para futuros investimentos e aumentos de capital. Valores sujeitos a arredondamentos.

Tarifas Médias (R$/MWh)

set/15

jun/15

mar/15

dez/14

set/14

Tarifa Média de Compra - Copel Dis

204,25

213,44

202,95

192,42

185,94

Tarifa Média de Fornecimento - Copel Dis¹

433,92

376,65

367,54

281,28

282,48

Tarifa Média de Suprimento - Copel GeT

158,10

151,78

147,23

154,92

114,17

Indicadores Econômico-Financeiros

set/15

jun/15

mar/15

dez/14

set/14

14.262.309

14.156.143

14.131.518

13.682.780

13.753.348

5.773.279

5.575.269

5.081.599

4.722.942

3.169.611

Valor Patrimonial por Ação (R$)

52,12

51,73

51,64

50,00

50,26

Endividamento do PL

49,7%

49,4%

46,4%

44,2%

41,1%

1,7

1,6

1,3

1,3

1,4

Patrimônio Líquido (R$ mil) Dívida Líquida (R$ mil)

Liquidez Corrente ¹ Não considera as bandeiras tarifárias .

CPLE3 | R$ 21,55 CPLE6 | R$ 32,64

ELP | US$ 8,21 XCOP | € 7,44

Valor de Mercado | R$ 7,3 bi * Cotações em 30.09.2015

Earnings Release 3T15

ÍNDICE 1. Principais Eventos no Período _______________________________________________________________________ 3 2. Desempenho Econômico-Financeiro ________________________________________________________________ 11 2.1 Receita Operacional ____________________________________________________________________________ 11 2.2 Custos e Despesas Operacionais ___________________________________________________________________ 12 2.3 Resultado de Equivalência Patrimonial _____________________________________________________________ 14 2.4 LAJIDA _______________________________________________________________________________________ 14 2.5 Resultado Financeiro ____________________________________________________________________________ 14 2.6 Lucro Líquido Consolidado _______________________________________________________________________ 15 2.7 Demonstração do Resultado Consolidado – DRE ______________________________________________________ 16 3. Balanço Patrimonial Consolidado ___________________________________________________________________ 16 3.1 Ativo _________________________________________________________________________________________ 16 3.2 Passivo _______________________________________________________________________________________ 20 4. Desempenho das Principais Empresas _______________________________________________________________ 24 4.1 Copel Geração e Transmissão _____________________________________________________________________ 24 4.2 Copel Distribuição ______________________________________________________________________________ 24 4.3 Copel Telecomunicações _________________________________________________________________________ 26 4.4 UEG Araucária _________________________________________________________________________________ 26 4.5 Informações Contábeis __________________________________________________________________________ 27 5. Programa de Investimentos _______________________________________________________________________ 28 6. Mercado de Energia e Tarifas ______________________________________________________________________ 28 6.1 Mercado Cativo – Copel Distribuição _______________________________________________________________ 28 6.2 Mercado Fio (TUSD) ____________________________________________________________________________ 29 6.3 Fornecimento de Energia Elétrica __________________________________________________________________ 30 6.4 Total de Energia Vendida ________________________________________________________________________ 30 6.5 Fluxos de Energia _______________________________________________________________________________ 31 6.6 Tarifas _______________________________________________________________________________________ 33 7. Mercado de Capitais _____________________________________________________________________________ 34 7.1 Capital Social __________________________________________________________________________________ 34 7.2 Desempenho das Ações _________________________________________________________________________ 35 7.3 Dividendos e JCP _______________________________________________________________________________ 36 8. Performance Operacional _________________________________________________________________________ 37 8.1 Geração ______________________________________________________________________________________ 37 8.2 Transmissão ___________________________________________________________________________________ 43 8.3 Distribuição ___________________________________________________________________________________ 44 8.4 Telecomunicações ______________________________________________________________________________ 46 8.5 Participações __________________________________________________________________________________ 47 8.6 Novos Projetos ________________________________________________________________________________ 47 9. Outras Informações ______________________________________________________________________________ 50 9.1 Recursos Humanos _____________________________________________________________________________ 50 9.2 Principais Indicadores Físicos _____________________________________________________________________ 51 9.3 Teleconferência sobre Resultados do 3T15 __________________________________________________________ 52 Anexos I – Fluxo de Caixa Consolidado ________________________________________________________________ 53 Anexos II – Demonstrações Financeiras - Subsidiárias Integrais ____________________________________________ 54 Anexos III – Demonstrações Financeiras por Empresa ____________________________________________________ 57

2 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

1. Principais Eventos no Período Resultado da Copel Distribuição A Copel Distribuição apresentou prejuízo de R$ 73,1 milhões e EBITDA negativo de R$ 85,5 milhões no 3T15. Esse resultado foi impactado pela retração do mercado de energia no período, que resultou na frustração de receita de R$ 42,0 milhões, sendo R$ 22,0 milhões referente à menor recomposição dos componentes financeiros previstos no reajuste tarifário e R$ 20,0 milhões referente à menor recomposição de receita relacionada à cobertura dos custos gerenciáveis (Parcela B). Além disso, a receita também foi impactada negativamente em R$ 36,0 milhões em decorrência do diferencial de alíquota efetiva do PIS e da COFINS, os quais serão parcialmente recuperados em períodos subsequentes. Na linha de custos e despesas operacionais o resultado foi impactado, principalmente, pelo (a) aumento de R$ 11,0 milhões em amortização em decorrência da transferência do ativo financeiro para o ativo intangível, conforme Despacho Aneel nº 3.592, de 28 de outubro de 2015, (b) efeito não recorrente de R$ 11,0 milhões em perdas na desativação e alienação de bens, reflexo da baixa do ativo imobilizado, e (c) por maiores encargos trabalhistas, principalmente horas extras e sobreaviso, os quais estão relacionados ao grande número de intempéries climáticas no período. Provisões e Reversões A partir de junho de 2015, a Copel GeT deixou de provisionar crédito para liquidação duvidosa referente a diferença entre os preços de venda de energia negociada nos CCEARs da UHE Colíder e o Preço de Liquidação de Diferença – PLD, considerando a premissa de 150 dias de excludente de responsabilidade referente ao atraso da entrada em operação da UHE Colíder (usada no teste de impairment realizado em 2014). O saldo provisionado até junho de 2015 é de R$ 119, 7 milhões. A Companhia aguarda a definição por parte da Aneel quanto ao pleito de revisão do cronograma de início da operação comercial desta usina para a possível reversão desta provisão. A Compagas registrou R$ 15,4 milhões em provisões e reversões, em decorrência, principalmente, de um acordo judicial firmado entre a Companhia e o Consórcio Carioca-Passarelli referente a questões de equilíbrio econômico-financeiro de contratos. Com isso, a Compagas apresentou um prejuízo de R$ 3,2 milhões no 3T15. No mesmo período a Copel registrou R$ 93,5 milhões em provisões e reversões, composto, principalmente, por R$ 46,7 milhões referentes à litígios administrativos e trabalhistas, R$ 29,6 milhões à créditos de liquidação duvidosa (PCLD), R$ 11,6 milhões à desapropriação e servidão de passagem, R$ 2,5 milhões à perdas para créditos tributários, e R$ 3,1 milhões à litígios regulatórios e tributários. Nos nove primeiros meses de 2015 foram registrados R$ 497,1 milhões, sendo R$ 188,1 milhões referente à PCLD, R$ 185,6 milhões referente à questões administrativas e trabalhistas, R$ 66,9 milhões à litígios regulatórios e tributários, R$ 55,2 milhões à 3 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 desapropriação e servidão de passagem, e R$ 1,3 milhão à perdas para créditos tributários. Liminar - UHE Colíder Em 9 de outubro de 2015 a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região deferiu o pedido de antecipação da tutela recursal da Copel GeT, determinando que a Aneel se abstenha de impor à Companhia, até a apreciação do Processo Administrativo nº 48500.000623/2015, qualquer contabilização, depósito, oneração, pagamento, liquidação ou garantia, imputação de multa, débito ou inadimplência, redução de contratos, desconstituição de registro de contratos, desligamentos, gravames, penalidades e/ou restrição de direitos em decorrência da ultrapassagem dos marcos temporais do cronograma original do Contrato de Concessão de Uso de Bem Publico para Geração de Energia nº 01/2011-MME-UHE Colíder, suspendendo-se, ainda, todos e quaisquer ônus a ele relativos. Ver mais detalhes no item 8.1. Bandeiras Tarifárias Por meio da Resolução Homologatória nº 1.945, de 28 de agosto de 2015, a Aneel definiu os novos valores a serem adicionados à tarifa de energia, quando da vigência das bandeiras tarifárias amarela e vermelha, a partir de 1º de setembro de 2015. O quadro a seguir sintetiza os principais critérios implementados a partir de março de 2015. Tarifa (R$/MWh) Bandeira

Variação

CVU¹ < R$ 200,00/MWh

Março Agosto

A partir de Setembro

-

-

R$ 200,00/MWh < CVU < R$ 388,48/MWh²

25,00

25,00

CVU > R$ 388,48/MWh²

55,00

45,00

¹ CVU: Custo Variável Unitário. ² Valor teto do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD).

Nos nove primeiros meses de 2015, o setor elétrico brasileiro operou com bandeira vermelha. Até setembro a Companhia registrou R$ 854,5 milhões referente à receita das Bandeiras Tarifárias. A Aneel reconheceu R$ 803,6 milhões relativos ao período, sendo (a) R$ 25,9 milhões referente a janeiro, (b) R$ 61,3 milhões a fevereiro, (c) R$ 83,9 milhões a março, (d) R$ 112,5 milhões a abril, (e) R$ 105,5 milhões a maio, (f) R$ 105,3 milhões a junho, (g) R$ 105,3 milhões a julho, (h) R$ 107,0 milhões a agosto, e (i) R$ 96,9 milhões a setembro. Os valores contabilizados com base em estimativas da Companhia serão ajustados em períodos subsequentes. Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias - CCRBT Através do Decreto nº 8.401 de 04 de fevereiro de 2015, o governo federal instituiu à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE a criação e a gestão da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias - CCRBT, na qual as distribuidoras recolhem os recursos provenientes das bandeiras tarifárias. Os valores mensais dos repasses financeiros da CCRBT são apurados a partir do resultado líquido 4 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 entre as receitas provenientes da aplicação das bandeiras e os custos de compra de energia por fonte termelétrica e da exposição no mercado de curto prazo não cobertos pela tarifa vigente no período. Até setembro de 2015 a Copel Distribuição repassou R$ 195,7 milhões à CCRBT, sendo (a) R$ 1,2 milhão referente a janeiro, (b) R$ 14,7 milhões a fevereiro, (c) R$ 13,3 milhões a março, (d) R$ 26,3 milhões referente à abril, (e) R$ 13,5 milhões à maio, (f) R$ 38,5 milhões à junho, (g) R$ 26,9 milhões à julho, (h) R$ 35,7 milhões à agosto, e (i) R$ 25,6 milhões à setembro. No Reajuste Anual de 2015, a receita decorrente da aplicação do adicional da bandeira tarifária e os repasses da Conta Bandeiras para os períodos de competência de janeiro a março de 2015 foram considerados na apuração da CVA energia e da CVA ESS/EER, conforme Resolução Homologatória Aneel nº 1.897 de 16 de junho de 2015. Os custos não cobertos pelos repasses da Conta Centralizadora serão recuperados pelas concessionárias de distribuição no processo tarifário subsequente. UTE Araucária Por operar sem contrato de disponibilidade, o Custo Variável Unitário – CVU da UTE Araucária é calculado e estabelecido pela Aneel de modo a recompor, além do custo do combustível, os custos operacionais e a remuneração do ativo. Por meio do Despacho nº 210, de 28 de janeiro de 2015, a Aneel aprovou o CVU para o período entre fevereiro de 2015 e janeiro de 2016, sendo R$ 765,86/MWh no período de fevereiro a maio de 2015, e R$ 595,11/MWh entre junho de 2015 e janeiro de 2016. No 3T15 o despacho da UTE Araucária foi de 548 GWh, montante 31,2% inferior ao registrado no 3T14, enquanto que nos nove primeiros meses de 2015, a usina gerou 2.420 GWh, 4,1% acima dos 2.326 GWh produzidos no mesmo período do ano anterior. Mais detalhes no item 4.4. Rating Nacional ‘AA+(bra)’ A agência de classificação de riscos Fitch Rating reafirmou o grau de confiança na Copel, mantendo o Rating Nacional de Longo Prazo ‘AA+(bra)’ da Companhia e de sua subsidiária integral, Copel Geração e Transmissão, bem como os de suas debêntures. Segundo o press release da Agência, a classificação do rating permanece suportado pelo sólido perfil financeiro do grupo, beneficiado por uma robusta geração operacional de caixa, conservadora estrutura de capital e forte posição de liquidez. A Fitch Ratings mantém a classificação de grau de investimento da Copel desde 2010, denotando expectativas de baixo risco de crédito e forte capacidade de pagamento dos compromissos financeiros. Andamento das obras - UHE Colíder No canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Colíder continuam os trabalhos de montagem dos equipamentos eletromecânicos com os testes nas comportas da tomada d'água e montagem do rotor do gerador da Unidade 1. A supressão vegetal da área do reservatório está em ritmo acelerado. Na casa de força o revestimento do poço da unidade geradora 3 foi lançado, além disso foi realizado o fechamento do segundo vão no vertedouro 5 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 para construção da ogiva. Ver mais detalhes no item 8.1. Andamento das obras de Transmissão – LT Assis – Paraguaçu Paulista II As obras no interior de São Paulo estão em fase final. O circuito de 42 km de extensão (230 kV) será um importante reforço para o sistema elétrico daquela região. Até agora, 88 das 93 estruturas previstas no projeto já foram montadas e 89 fundações já estão prontas. Já a subestação Paraguaçu Paulista II está concluída e encontra-se em fase de teste (comissionamento). Com CAPEX total de R$ 57,8 milhões, os empreendimentos, quando em operação, adicionarão R$ 7,0 milhões à RAP da Copel GeT. Ver mais detalhes no item 8.2. Entrada em Operação – Parques Eólicos No dia 21 de outubro de 2015 a Copel concluiu a instalação do Complexo Eólico Brisa Potiguar. Com a entrada em operação dos últimos seis aerogeradores do Parque Eólico Asa Branca II, a Copel passa a ter 11 parques eólicos em fase operacional, todos localizados no Rio Grande do Norte, totalizando 277,6 MW de capacidade instalada. Ver mais detalhes no item 8.1. Ivaí Engenharia Na sessão do dia 1º de outubro de 2015, a segunda turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou a anulação de condenação contra a Copel, na qual a Companhia deveria pagar cerca de R$ 540 milhões à Ivaí Engenharia, relativa à execução de obras da PCH Derivação do Rio Jordão (PR), nos anos 1990. O STJ entendeu que houve omissão quanto ao erro existente no laudo pericial que definiu o valor da condenação da Companhia. O equívoco no cálculo ocorreu na acumulação de taxa Selic e juros de mora, o que não é permitido pela legislação. A Copel aguarda a publicação do acórdão e o retorno do processo para o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR), que deverá reapreciar os embargos de declaração opostos ao acórdão da apelação pela Copel. Em 30 de setembro de 2015 a Companhia possuía R$ 390,0 milhões provisionados como perda provável e R$ 323,6 milhões classificados como perda possível. Prorrogação da Concessão da Copel Distribuição Em 2 de junho de 2015 a Presidência da República emitiu o Decreto nº 8.461 que regulamenta a prorrogação das concessões de energia elétrica de que trata o art. 7° da Lei nº 12.783, de 11 de janeiro de 2013. De acordo com o decreto, o Ministério de Minas e Energia (MME) poderá prorrogar os contratos de concessão de distribuição de energia elétrica por mais 30 anos, com vistas a atender critérios de eficiência relacionados à qualidade do serviço prestado e à gestão econômico-financeira da concessão, além da modicidade tarifária. Com o objetivo de obter subsídios para o aprimoramento do modelo do termo aditivo aos contratos de concessão a serem prorrogados, alguns aspectos relacionados a (a) critérios para os indicadores de qualidade, (b) sustentabilidade econômico-financeira, (c) governança e transparência das distribuidoras, entre outros, foram discutidos na Audiência Pública nº 38/2015, promovida pela Aneel. * Valores sujeitos a arredondamentos.

6

Earnings Release 3T15 O Tribunal de Contas da União (TCU), que havia determinado a suspensão do processo de renovação das concessões para solicitar maiores explicações sobre a dispensa de licitação, permitiu, em setembro, a retomada do processo de prorrogação das concessões das distribuidoras, condicionada à definição de critérios objetivos de medição de eficiência para as empresas durante todo o período de concessão. Em 21 de outubro de 2015, a Aneel apresentou os resultados da Audiência Pública nº 38/2015, referente ao aprimoramento do modelo de termo aditivo ao contrato de concessão para prorrogação das concessões de distribuição e recomendou ao MME a prorrogação de 40 concessões de distribuição de energia elétrica, dentre elas, a da Copel Distribuição. Os novos contratos de concessão impõem condicionantes de eficiência às distribuidoras que são tratadas em duas dimensões: qualidade do serviço e sustentabilidade da gestão econômico-financeira. O descumprimento das condições por dois anos consecutivos ou de quaisquer dos limites ao final do período dos primeiros cinco anos acarretará na extinção da concessão. A partir do sexto ano subsequente à celebração do contrato, o descumprimento dos critérios de qualidade por três anos consecutivos ou de gestão econômico-financeira por dois anos consecutivos implicará na abertura do processo de caducidade. Adicionalmente, o descumprimento das metas globais de indicadores de continuidade coletivos por dois anos consecutivos ou três vezes em cincos anos, poderá suscitar na limitação de distribuição de dividendos ou pagamento de juros sobre capital próprio, enquanto que o descumprimento dos indicadores de sustentabilidade econômico-financeira refletirá na necessidade de aporte de capital dos acionistas controladores. A tabela a seguir apresenta as metas definidas para a Copel Distribuição nos primeiros 5 anos da renovação.

Ano

Qualidade (Limite estabelecido)¹

Gestão Econômico-Financeira

2016 2017

LAJIDA ≥ 0

2018

LAJIDA (-) QRR³ ≥ 0 4

2019

{Dívi da Líqui da / [LAJIDA (-) QRR³]} ≤ 1 / (0,8 * SELIC )

2020

{Dívi da Líqui da / [LAJIDA (-) QRR³]} ≤ 1 / (1,11 * SELIC )

4

DECi²

FECi²

13,61

9,24

12,54

8,74

11,23

8,24

10,12

7,74

9,83

7,24

1

Conforme NT 0335/2015 ANEEL ² DECi - Duração Equivalente de Interrupção de Origem Interna por Unidade Consumidora; e FECi - Frequência Equivalente de Interrupção de Origem Interna por Unidade Consumidora. ³ QRR: Quota de Reintegração Regulatória ou Despesa de Depreciação Regulatória. Será o valor definido na última Revisão Tarifária Periódica - RTP, acrescido do IGP-M entre o mês anterior ao da RTP e o mês anterior ao do período de 12 (doze) meses da aferição de sustentabilidade econômico-financeira. 4

Selic: limitada a 12,87% a.a.

No dia 11 de novembro de 2015 o Ministério de Minas e Energia deferiu o Requerimento para Prorrogação do Prazo de Concessão de Serviço Público de Distribuição de Energia Elétrica objeto do Contrato de Concessão nº 46/1999-ANEEL, celebrado entre a União e a Copel Distribuição e convocou pra a assinatura do Quinto Termo Aditivo ao Contrato de Concessão no prazo máximo de 30 dias a contar desta data. Para deliberar sobre a Prorrogação da Concessão de Distribuição de Energia Elétrica da Copel Distribuição S.A, o 7 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Conselho de Administração convocou os acionistas da Companhia a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária que será realizada na sede social da Companhia às 14h30 de 02 de dezembro de 2015. Os documentos pertinentes à matéria a ser debatida, juntamente com o Manual de Orientação para Participação em Assembleia encontram-se à disposição dos acionistas na sede da Copel e no site www.copel.com/ri. Liminar contra a aplicação do Fator de Ajuste de Energia (GSF) A Copel GeT é parte autora na decisão liminar proferida em 1º de julho de 2015 pelo Juízo da 20ª Vara Federal de Brasília, em ação proposta pela Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica Apine, na qual foi determinado que a Aneel, até o trânsito em julgado desta ação, deve se abster de proceder ao ajuste do Mecanismo de Realocação de Energia - MRE, caso haja geração total do MRE em montante inferior à garantia física, para o grupo de empresas associado à Apine. A decisão tem o objetivo de interromper os custos incorridos pelos geradores hidrelétricos em razão dos atuais valores do GSF, impactado por fatos de ordem estrutural e conjuntural. Considerando a avaliação jurídica como êxito possível do mérito da ação que discute o reflexo do GSF no MCP, foram reconhecidos no resultado do 3T15 o valor de R$ 46,0 milhões no custo com compra de energia considerando os efeitos do GSF. Enquanto que nos primeiros nove meses do ano a Copel GeT reconheceu no resultado um custo com compra de energia na CCEE de R$ 262,0 milhões. Ainda no segmento de geração, a UEG Araucária obteve liminar via Associação Brasileira de Geradoras Termelétricas (Abraget) que condena a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE e a Aneel a não transferir para as associadas o ônus financeiro de quaisquer decisões judiciais – das quais não façam parte – que tenham limitado a incidência do fator de ajuste GSF sobre geradores hidrelétricos, em todas as liquidações realizadas pela CCEE ano curso desta ação, bem como se abstenham de lhes aplicar qualquer sanção daí decorrente. Já a Elejor obteve liminar que limita a aplicação do GSF a 5%, via Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa (Abragel). Adicionalmente, em 04 de agosto de 2015, o juízo da 17ª Vara Federal de Brasília proferiu decisão liminar em ação proposta pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica – Abradee, em que a Copel Distribuição é parte autora, determinando que o Conselho de Administração da CCEE se abstenha de imputar às filiadas da Abradee o ônus financeiro de quaisquer decisões judiciais, das quais não façam parte, relativas aos efeitos dos atuais valores de GSF sobre geradores hidrelétricos, bem como de lhes aplicar qualquer sanção daí decorrente, até o julgamento da lide. Estas decisões são de primeira instância, cabendo recurso. Risco hidrológico - Repactuação do GSF Em 18 de agosto de 2015 o Governo Federal publicou a Medida Provisória (MP) nº 688, permitindo a repactuação do risco hidrológico suportado pelos agentes de geração hidrelétrica participantes do * Valores sujeitos a arredondamentos.

8

Earnings Release 3T15 Mecanismo de Realocação de Energia - MRE, a MP prevê mecanismos diferenciados para essa repactuação, relacionados à energia vendida no Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e no Ambiente de Contratação Livre (ACL), e determina que a repactuação seja válida a partir de janeiro de 2015 para os geradores que aderirem à proposta e retirarem as ações que questionam o risco hidrológico na Justiça. Em 3 de novembro de 2015, por meio da Nota Técnica nº 238/2015, a Aneel deliberou a conclusão da Audiência Pública nº 32/2015, com a apresentação das condições e procedimentos para a repactuação do risco hidrológico. O regulamento estabelece opções para o nível de risco a ser assumido pelos geradores e a correspondente contrapartida aos consumidores no ACR. De acordo com a Nota Técnica, a repactuação pode ser realizada a partir da distinção de três classes de produtos: Classe P Ri s co de reduçã o da Ga ra nti a Fís i ca Ri s co de gera çã o a ba i xo da Ga ra nti a Fís i ca Energi a Secundá ri a (gera çã o a ci ma da ga ra nti a fís i ca ) Va l or do Prêmi o de Ri s co (R$/MWh) Nível de Proteçã o

Classe SP

Classe SPR

Gera dor

Gera dor

Cons umi dor

Cons umi dor ou Compa rti l ha do

Cons umi dor ou Compa rti l ha do

Cons umi dor ou Compa rti l ha do

Gera dor

Cons umi dor

Cons umi dor

entre R$ 12,76 e R$ 4,13 entre R$ 9,31 e R$ 0,68 10% do preço do contra to entre 89% e 100%

entre 89% e100%

100%

Já para a energia não comercializada no ACR, a repactuação se dará via transferência de proteção (hedge), permitindo aos geradores comprarem Energia de Reserva em leilões futuros e compensarem, com extensão de prazo de concessão, o eventual resultado financeiro negativo associado a essa proteção. A Copel está analisando a proposta final do poder concedente e se manifestará a respeito em momento oportuno. Copel Distribuição lança programa de investimento “+ Clic Rural” Em 27 de agosto a Copel Distribuição lançou um novo programa de investimentos para a área rural do Estado do Paraná. O “+ Clic Rural” tem o objetivo de aprimorar a infraestrutura para aumentar a qualidade do fornecimento de energia e a agilidade no restabelecimento do serviço em caso de interrupções. Com investimento previsto de R$ 500,0 milhões até 2018, o programa abrange a construção de 3 mil km de novas redes, 30 subestações, 1.500 religadores automatizados, e a implementação da tecnologia de redes inteligentes no interior do Paraná. Prêmio Cier de Qualidade A Copel ficou em segundo lugar no Prêmio Cier de Qualidade (Comisión de Integración Energética Regional). Participaram dessa edição do Prêmio 59 empresas de distribuição de 13 países de toda a América do Sul e do Caribe. A metodologia visa avaliar o Índice de Satisfação do Cliente com a Qualidade Percebida (ISCAL). Nas 9 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 últimas cinco edições do Prêmio Cier a Copel esteve entre as três empresas melhores colocadas, e foi a vencedora em 2011, 2012 e 2014. Copel Telecom está entre as dez mais rentáveis do setor Em 25 de agosto a Copel Telecom recebeu o prêmio Anuário Telecom 2015, realizado pela Fórum Editorial. O Anuário Telecom analisa as demonstrações financeiras das cem maiores empresas de telecomunicações do país. A premiação leva em consideração dados contidos nos balanços do período, pelo critério da legislação societária. A empresa foi destaque na categoria Serviços Corporativos e ficou entre as dez empresas de telecomunicações mais rentáveis de 2014. Plano de Negócios Copel Telecom Em 7 de outubro de 2015, o Conselho de Administração da Companhia aprovou o Plano de Negócios da Copel Telecomunicações para os próximos 10 anos. Com objetivo de levar os serviços de varejo para 85% dos municípios paranaenses e atender cerca de 644 mil clientes, o Plano prevê investimentos na ordem de R$ 2,2 bilhões até 2024. Copel é a maior empresa do Paraná A Copel continua liderando o ranking de maiores empresas do Paraná, segundo o Prêmio "500 Maiores do Sul Grandes&Líderes", divulgado dia 15 de outubro pela revista de economia e negócios Amanhã, em parceria com a consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC). O ranking é elaborado a partir de um indicador exclusivo criado pela PwC e a revista Amanhã, chamado Valor Ponderado de Grandeza (VPG), que pondera informações de balanços financeiros sobre o patrimônio Líquido (50%), a receita líquida (40%) e o lucro ou prejuízo (10%). No ranking do Sul, a Copel é a quarta maior empresa e a primeira do setor energético. Novo Diretor de Gestão Empresarial Em 16 de setembro de 2015 o Conselho de Administração da Copel elegeu o Sr. Gilberto Mendes Fernandes como Diretor de Gestão Empresarial da Companhia. Especialista em Planejamento Estratégico, o Sr. Gilberto foi Diretor de Meio Ambiente e Cidadania Empresarial da Companhia no período de 2012 e 2013, é Membro do Comitê Técnico de assessoramento do Conselho de Administração da Sanepar, Membro do Conselho Deliberativo da Usina a Gás de Araucária, Membro do Conselho Diretor do Consórcio Cruzeiro do Sul, Conselheiro de Administração da Carbocampel - S.P.E.; e recentemente, ocupava o cargo de Diretor Adjunto da Copel Participações S.A.

10 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

2. Desempenho Econômico-Financeiro 2.1 Receita Operacional No 3T15, a receita operacional atingiu R$ 3.245,2

Receita Operacional Líquida

milhões, montante 1,3% inferior aos R$ 3.286,9 milhões registrados no mesmo período de 2014. Destacam-se as seguintes variações: (i) aumento de 14,7% na receita de “fornecimento

8,6% 3,5%

36,5%

1,3% 7,2%

Receita de Construção Receita de Telecom 15,1%

Distribuição de Gás Canalizado

Sistema de Distribuição - TUSD) em decorrência, principalmente, da Revisão Tarifária Extraordinária

Suprimento Disponibilidade da rede

de energia elétrica” (que reflete somente a venda de energia, não considerando a Tarifa de Uso do

Fornecimento

0,7%

27,1%

Resultado de ativos e passivos financeiros setoriais Outras receitas

– RTE que reajustou em 36,79% as tarifas da Copel Distribuição a partir de 02 de março de 2015, e do reajuste de 15,32% aplicado às tarifas da Copel Distribuição a partir de 24 de junho de 2015, parcialmente compensado (a) pelo aumento de encargos do consumidor, que representaram 26,9% dos reajustes praticados, (b) pelo aumento da alíquota efetiva do PIS/Cofins, e (c) pela retração de 1,0% no mercado cativo da Copel Distribuição e de 2,0% no mercado livre da Copel GeT em relação ao 3T14; (ii) redução de 21,6% na conta “suprimento de energia elétrica” decorrente da menor receita na CCEE, reflexo da redução de 31,2% no despacho da UTE Araucária no 3T15 em comparação ao mesmo período de 2014, e do menor Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) no período (R$ 192,70/MWh no 3T15 comparado a R$ 647,19/MWh no 3T14); (iii) a rubrica disponibilidade da rede elétrica (composta por TUSD e TUST) apresentou aumento de 9,2%, em razão do reajuste tarifário aplicado pela Copel Distribuição e da entrada em operação de novos ativos de transmissão, parcialmente compensada pela retração de 2,5% no mercado fio em comparação com o mesmo período do ano anterior; (iv) a conta “receita de construção” apresentou redução de 18,2%, e reflete a contabilização de investimentos em serviços de construção e melhoria da infraestrutura utilizada na distribuição e transmissão de energia elétrica; (v) acréscimo de 27,7% na “receita de telecomunicações” em virtude da ampliação do atendimento a novos clientes – a base de clientes passou de 17.130 em 30 de setembro de 2014, para 41.153 em setembro de 2015; (vi) ampliação de 62,0% em “distribuição de gás canalizado” (fornecido pela Compagas) em decorrência do crescimento do mercado, principalmente nos segmentos residencial e industrial com a entrada de novos 11 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 consumidores, e do reajuste da tarifa (6,0% em março de 2015); (vii) a conta “resultado de ativos e passivos financeiros setoriais” apresentou um saldo negativo de R$ 59,7 milhões no 3T15 e reflete a amortização de R$ 401,8 milhões parcialmente compensada pela constituição de R$ 342,1 milhões referentes a CVA energia outros componentes financeiros; e (viii) redução de 33,9% na conta “outras receitas operacionais”, em razão da alteração da contabilização dos valores referentes ao ressarcimento da indisponibilidade de geração de energia elétrica, conforme Despacho Aneel 4.786/2014;

3T15

Demonstrativo da Receita

2T15

3T14

Var.% (1/3)

(1)

(2)

(3)

1.409.586

1.420.458

1.229.230

Suprimento de energia elétrica

751.190

1.041.606

Disponibilidade da rede elétrica (TUSD/ TUST)

641.614

480.632

Receita de construção

282.484

9M15

9M14

R$ mil Var.%

(4)

(5)

14,7

4.158.744

3.072.371

35,4

958.113

(21,6)

3.085.816

3.238.935

(4,7)

587.416

9,2

1.717.351

1.648.724

272.962

345.437

(18,2)

823.678

971.996

(15,3)

54.778

51.303

42.891

27,7

153.683

122.183

25,8

Distribuição de gás canalizado

140.843

139.202

86.922

62,0

401.520

272.387

47,4

Resultado de ativos e passivos financeiros setoriais

(59.678)

478.136

-

-

979.343

24.371

24.539

36.875

Fornecimento de energia elétrica

Receita de telecomunicações

Outras receitas operacionais Receita operacional

3.245.188

3.908.838

(33,9)

3.286.884

(1,3)

70.993 11.391.128

(4/5)

-

4,2

-

129.534

(45,2)

9.456.130

20,5

2.2 Custos e Despesas Operacionais No 3T15, os custos e despesas operacionais

Custos e Despesas Operacionais

atingiram R$ 3.183,4 milhões, valor 6,8%

9,5% 45,5%

5,6%

superior aos R$ 2.980,8 milhões registrados no

Energia comprada Encargos do Uso da Rede

3,9%

3T14. As principais variações foram:

Pessoal e Plano Previdenciário e Assistencial

(i) acréscimo de 10,4% na conta “energia

Material e Outros

elétrica comprada para revenda” em função do

18,8%

Serviços de terceiros

Depreciação

maior custo com aquisição de energia de 9,9%

Itaipu, em razão do reajuste da tarifa e da

6,8%

Custo de construção

valorização do dólar, e do fim do repasse de recursos da CDE e da Conta ACR, que totalizaram R$ 95,6 milhões no 3T14, parcialmente compensado pelo menor custo com aquisição de energia nos leilões (CCEAR) em decorrência do maior volume de contrato de cotas de garantia física das UHEs que tiveram suas concessões prorrogadas nos termos da Lei 12.783/13, ao preço médio de R$ 30,92/MWh;

12 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 3T15

Energia Elétrica Comprada para Revenda

(1)

2T15

Var. %

(3)

(1/3)

9M15

9M14

R$ mil Var. %

(4)

(5)

Compra de energia no ambiente regulado - CCEAR

821.588

1.076.635

940.863

(12,7)

2.990.471

2.439.244

22,6

Itaipu Binacional

491.764

354.472

191.846

156,3

1.218.837

546.591

123,0

Câmara de Comercialização de Energia - CCEE

213.530

439.353

298.610

(28,5)

1.060.134

1.676.997

(36,8)

(-) Repasse CDE e Conta ACR- CCEE Proinfa

(2)

3T14

-

-

(95.616)

44.410

45.207

46.356

(4,2)

Contratos bilaterais

3.786

3.912

-

133.660

(4/5)

(1.157.617)

-

137.785

(3,0)

43.897

(91,4)

26.688

160.156

(83,3)

(-) PIS/Pasep and Cofins

(127.189)

(143.961)

(115.023)

10,6

(414.531)

(317.666)

30,5

TOTAL

1.447.889

1.775.618

1.310.933

10,4

5.015.259

3.485.490

43,9

(ii) aumento de 29,1% em “encargos de uso da rede elétrica”, em razão, basicamente, do maior custo com encargos dos serviços do sistema (ESS) devido ao maior despacho de usinas térmicas fora da ordem de mérito, e do reajuste da tarifa de transmissão da energia de Itaipu; R$ mil

Encargos de uso da rede elétrica

3T15

2T15

3T14

Var.%

(3)

(1/3)

9M15

Var.%

(5)

(4/5)

(1)

(2)

147.349

156.856

149.844

(1,7)

459.578

364.747

Encargos de transporte de Itaipu

21.499

21.357

18.900

13,7

61.451

48.847

25,8

Encargo de Energia de Reserva - EER

31.561

-

-

-

31.561

4.554

593,0

Encargos de uso do sistema

Encargos dos serviços do sistema - ESS

26,0

31.961

36.691

17.337

84,4

121.215

52.995

128,7

(15.612)

(18.609)

(18.193)

(14,2)

(50.338)

(45.282)

11,2

216.758

196.294

167.888

29,1

623.467

425.861

46,4

(-) PIS / Pa s ep e Cofi ns s obre enca rgos de us o da rede el étri ca

TOTAL

(4)

9M14

(iii) a rubrica “pessoal e administradores” apresentou crescimento de 13,8% no período, totalizando R$ 253,9 milhões, reflexo do reajuste salarial de 7,5% aplicado a partir de outubro de 2014, e de maiores encargos trabalhistas, principalmente horas extras e sobreaviso, os quais estão relacionados aos grande número de intempéries climáticas no período; (iv) a conta “planos previdenciário e assistencial”, que registra a apropriação dos valores calculados segundo critérios da Deliberação CVM nº 695/2012, apresentou aumento de 31,3% motivado, principalmente, pelos maiores gastos com o plano assistencial no período; (v) a conta “matéria-prima e insumos para produção de energia” registra o custo com a aquisição de carvão mineral para a Usina Termelétrica de Figueira e de gás natural para a UTE Araucária e considera as eliminações entre empresas do mesmo grupo (a UTE Araucária compra o gás da Compagas), sendo que o crescimento de 29,9% verificado no período reflete, principalmente, a majoração da alíquota de impostos no período; (vi) a rubrica “gás natural e insumos para operação de gás” apresentou retração de 17,0% e reflete principalmente, as mudanças na legislação tributária estadual ocorridas em 2014, que impactaram nas eliminações entre empresas do mesmo grupo (UTE Araucária compra o gás da Compagas) daquele período; (vii) a conta “serviços de terceiros” apresentou crescimento de 18,7%, em decorrência do aumento de custos com comunicação, processamento e transmissão de dados, e manutenção do sistema elétrico; (viii) em “provisões e reversões”, foram registrados R$ 93,5 milhões no período, em razão da provisão de R$ 46,7 milhões referente à litígios administrativos e trabalhistas, R$ 29,6 milhões à créditos de liquidação 13 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 duvidosa (PCLD), R$ 11,6 milhões à desapropriação e servidão de passagem, R$ 2,5 milhões à perdas para créditos tributários, e R$ 3,1 milhões à litígios regulatórios e tributários; (ix) a conta “custo de construção” registrou retração de 12,4% e reflete os investimentos realizados nos negócios de distribuição e transmissão de energia no período; e (x) a rubrica “outros custos e despesas operacionais” apresentou aumento de 66,5% em razão do registro de R$ 29,3 milhões em perdas na desativação e alienação de bens reflexo de baixas do ativo imobilizado, principalmente, na Copel Distribuição (R$ 25,6 milhões) e na Copel GeT (R$ 3,4 milhões). R$ mil

Custos e Despesas Operacionais Energia elétrica comprada para revenda

3T15 (1)

2T15 (2)

3T14

Var.%

(3)

(1/3)

9M15 (4)

9M14

Var.%

(5)

(4/5)

1.447.889

1.775.618

1.310.933

10,4

5.015.259

3.485.490

43,9

Encargos de uso da rede elétrica

216.759

196.296

167.888

29,1

623.467

425.861

46,4

Pessoal e administradores

253.890

249.969

223.186

13,8

747.660

671.624

11,3

Planos previdenciário e assistencial

62.711

61.710

47.754

31,3

188.609

144.373

30,6

Material

19.573

17.523

19.589

(0,1)

Matéria-prima e insumos para produção de energia

54.966

86.329

42.316

29,9

Gás natural e insumos para operação de gás

298.099

405.422

359.280

(17,0)

Serviços de terceiros

124.373

124.355

104.756

Depreciação e amortização

178.245

165.839

154.303

Provisões e reversões

93.447

182.919

Custo de construção

302.261

Outros custos e despesas operacionais

131.150

3.183.363

TOTAL

57.799

55.973

3,3

188.020

92.426

103,4

1.054.077

1.060.586

18,7

357.964

305.260

15,5

503.355

462.465

8,8

126.911

(26,4)

497.139

275.913

80,2

288.893

345.170

(12,4)

864.340

971.733

(11,1)

72.060

78.748

66,5

320.418

265.778

20,6

3.626.933

2.980.834

6,8

10.418.107

8.217.482

26,8

(0,6) 17,3

2.3 Resultado de Equivalência Patrimonial O resultado de equivalência patrimonial reflete os ganhos e perdas nos investimentos realizados nas coligadas da Copel. No 3T15, o resultado apresentado foi de R$ 59,1 milhões, composto, principalmente, pelos ganhos nas SPEs de transmissão, na Sanepar, Dominó Holdings, Foz do Chopim Energética e Dona Francisca.

2.4 LAJIDA No 3T15, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização atingiu R$ 299,2 milhões, montante 39,7% inferior ao apresentado no mesmo período do ano anterior (R$ 495,8 milhões).

2.5 Resultado Financeiro No 3T15, as receitas financeiras totalizaram R$ 220,2 milhões, crescimento de 90,5% em relação ao mesmo período de 2014, decorrente da maior variação monetária registrada sobre contas a receber vinculadas à concessão e sobre a CRC, reflexo da maior inflação (IGP-M e IGP-DI respectivamente) no período, e do registro de R$ 11,7 milhões em remuneração de ativos e passivos setoriais. As despesas financeiras registradas no 3T15 totalizaram R$ 227,5 milhões, valor 72,7% maior ao verificado no 14 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 mesmo período do ano anterior, em função, basicamente, do aumento dos encargos de dívidas decorrentes do maior saldo de financiamentos e debêntures e do aumento dos juros no período. Assim, o resultado financeiro do 3T15 foi negativo em R$ 7,3 milhões ante os R$ 16,3 milhões negativos verificado no mesmo período do ano anterior. R$ mil

Receitas Financeiras

3T15 (1)

3T14 (2)

Var% (1/2)

9M15 (3)

9M14 (4)

Var.% (3/4)

220.215

115.596

90,5

748.726

499.052

Renda e variação monetária sobre repasse CRC

52.462

22.557

132,6

151.428

108.237

39,9

Renda de aplicações financeiras mantidas para negociação

44.878

59.579

(24,7)

101.903

138.912

(26,6)

Variação monetária sobre contas a receber vinculadas à concessão

42.868

(14.390)

-

135.956

36.961

267,8

Acréscimos moratórios sobre faturas de energia

44.318

21.871

102,6

117.636

116.844

0,7

6.988

8.859

(21,1)

96.900

42.693

127,0 (32,8)

Var. monetária e juros sobre contas a receber vinculadas à indenização da concessão Renda de aplicações financeiras disponíveis para venda

50,0

3.938

7.544

(47,8)

12.657

18.848

Remuneração de ativos e passivos setoriais

11.667

-

-

89.809

-

-

Outras receitas financeiras

13.096

9.576

36,8

42.437

36.557

16,1

(227.476)

(131.735)

72,7

(594.473)

(362.161)

64,1

(185.334)

(104.351)

77,6

(447.644)

(256.163)

74,7

(21.806)

(8.517)

156,0

(68.748)

(42.862)

60,4

Variações monetárias e cambiais

(7.860)

(9.020)

(12,9)

(16.259)

(26.609)

(38,9)

Juros sobre P&D e PEE

(9.477)

(6.331)

49,7

(24.647)

(16.626)

48,2

Outras despesas financeiras

(2.999)

(2.774)

8,1

(37.175)

(19.159)

94,0

(7.261)

(16.139)

(55,0)

154.253

136.891

12,7

Despesas Financeiras Encargos de dívidas Var. monetária e reversão de juros - contas a pagar vinc.concessão - UBP

Resultado Financeiro

2.6 Lucro Líquido Consolidado No 3T15, a Copel registrou lucro líquido de R$ 91,4 milhões, valor 60,8% inferior ao apresentado no mesmo período de 2014 (R$ 233,5 milhões).

15 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 2.7 Demonstração do Resultado Consolidado – DRE R$ mil Demonstração do Resultado

3T15 (1)

2T15 (2)

3T14 (3)

Var.% (1/3)

9M15 (4)

9M14 (5)

Var.% (4/5)

RECEITA OPERACIONAL

3.245.188

3.908.838

3.286.884

(1,3)

11.391.128

9.456.130

20,5

Forneci mento de energi a el étri ca

1.409.586

1.420.458

1.229.230

14,7

4.158.744

3.072.371

35,4

Supri mento de energi a el étri ca

751.190

1.041.606

958.113

(21,6)

3.085.816

3.238.935

(4,7)

Di s poni bi l i da de da rede el étri ca (TUSD/ TUST)

641.614

480.632

587.416

9,2

1.717.351

1.648.724

4,2

Recei ta de cons truçã o

282.484

272.962

345.437

(18,2)

823.678

971.996

(15,3)

Recei ta de Tel ecomuni ca ções

54.778

51.303

42.891

27,7

153.683

122.183

25,8

Di s tri bui çã o de gá s ca na l i za do

140.843

139.202

86.922

62,0

401.520

272.387

47,4

Res ul ta do de a ti vos e pa s s i vos fi na ncei ros s etori a i s

(59.678)

478.136

-

-

979.343

24.371

24.539

36.875

(33,9)

70.993

Outra s recei ta s opera ci ona i s

129.534

(45,2)

CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(3.183.363)

(3.626.933)

(2.980.834)

6,8

(10.418.107)

(8.217.482)

26,8

Energi a el étri ca compra da pa ra revenda

(1.447.889)

(1.775.618)

(1.310.933)

10,4

(5.015.259)

(3.485.490)

43,9

Enca rgos de us o da rede el étri ca

(216.759)

(196.296)

(167.888)

29,1

(623.467)

(425.861)

46,4

Pes s oa l e a dmi ni s tra dores

(253.890)

(249.969)

(223.186)

13,8

(747.660)

(671.624)

11,3

Pl a nos previ denci á ri o e a s s i s tenci a l

(62.711)

(61.710)

(47.754)

31,3

(188.609)

(144.373)

30,6

Ma teri a l

(19.573)

(17.523)

(19.589)

(0,1)

(57.799)

(55.973)

3,3

Ma téri a -pri ma e i ns umos pa ra produçã o de energi a

(54.966)

(86.329)

(42.316)

29,9

(188.020)

(92.426)

103,4

Gá s na tura l e i ns umos pa ra opera çã o de gá s

(298.099)

(405.422)

(359.280)

(17,0)

(1.054.077)

(1.060.586)

(0,6)

Servi ços de tercei ros

(124.373)

(124.355)

(104.756)

18,7

(357.964)

(305.260)

17,3

Depreci a çã o e a morti za çã o

(178.245)

(165.839)

(154.303)

15,5

(503.355)

(462.465)

8,8

(93.447)

(182.919)

(126.911)

(26,4)

(497.139)

(275.913)

80,2

Cus to de cons truçã o

(302.261)

(288.893)

(345.170)

(12,4)

(864.340)

(971.733)

(11,1)

Outros cus tos e des pes a s opera ci ona i s

(131.150)

(72.060)

(78.748)

66,5

(320.418)

(265.778)

20,6

59.092

45.447

35.469

66,6

150.901

120.051

120.917

327.352

341.519

(64,6)

1.123.922

1.358.699

Provi s ões e revers ões

RESULTADO DE EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL LUCRO ANTES DO RESULTADO FIN. E TRIBUTOS RESULTADO FINANCEIRO

120.629

(16.139)

(55,0)

154.253

136.891

12,7

Recei ta s fi na ncei ra s

220.215

308.635

115.596

90,5

748.726

499.052

50,0

Des pes a s fi na ncei ra s

(227.476)

(188.006)

(131.735)

72,7

(594.473)

(362.161)

113.656

447.981

325.380

(65,1)

1.278.175

1.495.590

(22.223)

(145.966)

(91.934)

(75,8)

(414.736)

(430.838)

(3,7)

(101.481)

(161.814)

(126.155)

(19,6)

(571.855)

(674.926)

(15,3)

LUCRO OPERACIONAL IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

(7.261)

25,7 (17,3)

64,1 (14,5)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos

79.258

15.848

34.221

131,6

157.119

244.088

(35,6)

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

91.433

302.015

233.446

(60,8)

863.439

1.064.752

(18,9)

Atri buído a os a ci oni s ta s da empres a control a dora

87.609

275.339

219.753

(60,1)

796.916

968.808

(17,7)

3.824

26.676

13.809

(72,3)

66.523

96.060

(30,7)

299.162

493.191

495.822

(39,7)

1.627.277

1.821.164

(10,6)

Atri buído a os a ci oni s ta s nã o control a dores LAJIDA

3. Balanço Patrimonial Consolidado A seguir descrevemos as principais contas e variações observadas no Balanço Patrimonial em relação a dezembro de 2014. Informações adicionais podem ser obtidas nas referidas Notas Explicativas de nossas ITRs.

3.1 Ativo Em 30 de setembro de 2015, o ativo total da Copel alcançou R$ 28.414,3 milhões, montante 10,9% superior ao registrado em 31 de dezembro de 2014.

16 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Principais contas do Ativo Caixa, Equivalentes de Caixa e Títulos e Valores Mobiliários Em 30 de setembro de 2015, as disponibilidades das subsidiárias integrais e controladas da Copel (caixa, equivalentes de caixa e títulos e valores mobiliários) totalizaram R$ 1.316,6 milhões, montante 1,1% inferior aos R$ 1.331,5 milhões registrados em 2014, e estavam aplicadas, majoritariamente, em Certificados de Depósitos Bancários (CDB) e operações compromissadas. As aplicações foram remuneradas, em média, à taxa de variação do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) do período. Clientes Nos 9M15, a conta “clientes” registrou crescimento de 36,0% em comparação com 2014, totalizando R$ 3.065,2 milhões, reflexo, principalmente, do registro de R$ 629,9 milhões referentes à venda de energia na CCEE, sendo que R$ 428,7 milhões correspondem à UTE Araucária e R$ 181,6 milhões à Copel GeT, parcialmente compensado pela constituição de provisão para créditos de liquidação duvidosa de R$ 119,7 milhões, referente a diferenças entre os preços de venda de energia negociada nos CCEARs da UHE Colíder e o PLD no período. Considerando a premissa de 150 dias de excludente de responsabilidade referente ao atraso da entrada em operação da UHE Colíder (usada no teste de impairment realizado em 2014), a partir de junho de 2015 a Copel GeT deixou de provisionar crédito para liquidação duvidosa referente a diferença entre os preços de venda de energia negociada nos CCEARs da UHE Colíder e o Preço de Liquidação de Diferença – PLD. Repasse CRC ao Estado do Paraná Através do quarto termo aditivo, assinado em 21 de janeiro de 2005, a Companhia renegociou com o Governo do Estado do Paraná o saldo da Conta de Resultados a Compensar (CRC) em 31 de dezembro de 2004, no montante de R$ 1.197,4 milhões, em 244 prestações mensais recalculadas pelo sistema price de amortização, atualizado pela variação do IGP-DI, e juros de 6,65% a.a. O vencimento da primeira parcela ocorreu em 30 de janeiro de 2005 e as demais têm vencimentos subsequentes e consecutivos até abril de 2025. O saldo atual da CRC é de R$ 1.361,6 milhões. O Governo do Estado vem cumprindo o pagamento das parcelas renegociadas conforme estabelecido no quarto termo aditivo, que também prevê a garantia por dividendos das amortizações desse financiamento. Ativos Financeiros Setoriais Líquidos Em decorrência da assinatura do 4º Termo Aditivo do Contrato de Concessão da Copel Distribuição, que contempla a inclusão da garantia de que os valores residuais de itens da Parcela A e outros componentes financeiros não recuperados ou devolvidos via tarifa serão incorporados, ou descontados, no cálculo da indenização de ativos não amortizados ao término da concessão, a Deliberação CVM nº 732 aprovou a Orientação Técnica OCPC 08 que tornou obrigatório o reconhecimento dos ativos e/ou passivos financeiros 17 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 setoriais nas demonstrações contábeis, a partir do exercício findo em 31 de dezembro de 2014. Em 30 de setembro de 2015 o saldo de ativos financeiros setoriais líquidos totalizou R$ 1.453,7 milhões, dos quais R$ 701,4 milhões correspondem aos valores dos diferimentos acumulados e corrigidos pelo IGP-M referentes aos processos de reajuste tarifário de 2013 e 2014. Mais detalhe em nossas ITRs (nota explicativa 9). Contas a Receber Vinculadas à Concessão Refere-se à créditos a receber relacionados aos contratos de concessão da atividade de transmissão e distribuição de energia elétrica. Os montantes são relativos aos investimentos em infraestrutura e remuneração financeira que não foram recuperados por meio da tarifa e/ou da RAP até o vencimento da concessão. Em 30 de setembro de 2015 o saldo da conta totalizou R$ 5.695,9 milhões, 28,7% maior que o registrado em 2014. A variação se refere, principalmente, à capitalizações e transferências do intangível oriundas da Copel Distribuição. Contas a Receber Vinculadas à Indenização da Concessão Em decorrência do aceite da Copel Geração e Transmissão às condicionantes estabelecidas pelo poder concedente para antecipação da prorrogação dos ativos de transmissão (MP 579), em 1° de novembro de 2012, através das Portarias 578 e 579 e Portaria Interministerial 580, o MME informou o valor da indenização que a Companhia faz jus no Contrato de Concessão de Transmissão nº 060/2001, no montante de R$ 893,9 milhões (considerando apenas os ativos que entraram em operação após maio de 2000). Em 30 de setembro de 2015, o montante registrado nessa conta foi de R$ 349,1 milhões. Com a promulgação da Lei 12.783 em 11 de janeiro de 2013, o poder concedente reconsiderou o direito de indenização dos ativos existentes em 31 de maio de 2000 (RBSE), e a Resolução Normativa Aneel nº 589, de 13 de dezembro de 2013, definiu que a indenização deve ser calculada com base no Valor Novo de Reposição VNR, descontada a taxa de depreciação do bem. Em 31 de março de 2015 a Copel apresentou à Aneel o laudo de avaliação dos ativos de transmissão RBSE e Demais Instalações de Transmissão - RPC referentes ao contrato de concessão 060/2001. Elaborado pela American Appraisal Serviços de Avaliação Ltda., o valor da base de indenização apurado foi de R$ 882,3 milhões com data base em 31 de dezembro de 2012, enquanto que o valor contábil desses ativos, conforme nossas Demonstrações Financeiras Padronizadas, era de R$ 160,2 milhões na mesma data. Em junho, os representantes da Superintendência de Fiscalização Econômica e Financeira da Aneel deram início ao processo de aferição do valor indenizável. A Companhia aguarda o relatório final da fiscalização e a homologação, por parte da Aneel, dos valores a serem recebidos. Os efeitos econômico-financeiros e o reconhecimento dos respectivos impactos contábeis nas Demonstrações Financeiras estão condicionados à homologação do resultado final do laudo de avaliação por parte do órgão regulador, e à definição, por parte do MME, da forma e do prazo de recebimento da indenização. 18 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Em decorrência do vencimento das concessões da UHE Rio dos Patos, UHE GPS e UHE Mourão I a Copel Geração e Transmissão depreciou as usinas até a data de vencimento das concessões e a reclassificou pelo valor residual contábil do ativo imobilizado, no valor de R$ 58.654, para "Contas a receber vinculadas à indenização da concessão”, o qual será confrontado com o valor da indenização a ser definida por parte do Poder Concedente. Investimento, Imobilizado e Intangível O saldo na conta “investimentos” apresentou expansão de 23,5% até 30 de setembro de 2015, reflexo da equivalência patrimonial e dos aportes registrados no período. A conta “imobilizado” cresceu 4,8% em função da entrada de novos ativos, conforme o programa de investimentos da Companhia, líquido da quota de depreciação do período. Já a conta “intangível” apresentou redução de 31,7% decorrente, principalmente, da capitalização para contas a receber vinculadas à concessão.

19 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 R$ mil Ativo CIRCULANTE

set/15 (1)

dez/14 (2)

set/14

Var.%

Var.%

(3)

(1/2)

(1/3)

6.720.226

5.218.176

5.409.291

Ca i xa e equi va l entes de ca i xa

831.568

740.131

1.790.122

Títul os e Va l ores Mobi l i á ri os

384.549

459.115

557.174

1.809

13.497

10.023

(86,6)

(82,0)

2.980.017

2.178.816

1.900.378

36,8

56,8

24.687

26.332

15.035

(6,2)

64,2 15,2

Ca uções e depós i tos vi ncul a dos Cl i entes Di vi dendos a receber Repa s s e CRC a o Es ta do do Pa ra ná

28,8

24,2

12,4

(53,5)

(16,2)

(31,0)

104.534

94.579

90.773

10,5

1.236.253

609.298

-

102,9

-

8.351

7.430

6.626

12,4

26,0

Conta s a receber vi ncul a da s à i ndeni za çã o da conces s ã o

130.243

301.046

293.467

(56,7)

(55,6)

Outros crédi tos

627.949

415.818

435.872

51,0

44,1

Es toques

135.951

150.622

142.061

(9,7)

(4,3)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

Ati vos Fi na ncei ros Setori a i s Líqui dos Conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o

168.976

105.074

34.517

60,8

389,5

Outros tri butos correntes a recupera r

62.955

96.285

111.779

(34,6)

(43,7)

Des pes a s a nteci pa da s

22.384

20.133

21.464

11,2

4,3

21.694.098

20.399.966

20.085.392

6,3

8,0

9.460.136

8.261.472

7.887.035

14,5

19,9

100.435

132.210

135.075

(24,0)

(25,6)

Ca uções e depós i tos vi ncul a dos

84.024

56.956

48.319

47,5

73,9

Cl i entes

85.159

75.696

74.422

12,5

14,4

1.257.061

1.249.529

1.247.170

0,6

0,8

714.812

736.253

726.254

(2,9)

(1,6)

(49,7)

NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Títul os e Va l ores Mobi l i á ri os

Repa s s e CRC a o Es ta do do Pa ra ná Depós i tos judi ci a i s Ati vos Fi na ncei ros Setori a i s Líqui dos Conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o Conta s a receber vi ncul a da s à prorroga çã o da conces s ã o Outros crédi tos Impos to de renda e contri bui çã o s oci a l

217.408

431.846

-

5.687.594

4.417.987

4.076.184

218.871

160.217

160.218

36,6

36,6

35.353

85.324

42.207

(58,6)

(16,2)

28,7

39,5

92.074

128.615

196.424

(28,4)

(53,1)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos

667.853

526.046

889.713

27,0

(24,9)

Outros tri butos correntes a recupera r

121.788

123.481

161.985

(1,4)

(24,8)

175

175

197

-

Des pes a s a nteci pa da s Pa rtes Rel a ci ona da s

(11,2)

177.529

137.137

128.867

29,5

37,8

Investimentos

2.050.406

1.660.150

1.632.079

23,5

25,6

Imobilizado

8.699.629

8.304.188

8.379.565

4,8

3,8

Intangível

1.483.927

2.174.156

2.186.713

(31,7)

(32,1)

28.414.324

25.618.142

25.494.683

10,9

11,5

TOTAL

3.2 Passivo Principais contas Fornecedores Em 30 de setembro de 2015, a linha “fornecedores” apresentou crescimento de 13,8%, totalizando R$ 1.826,0 milhões, em decorrência, principalmente, dos maiores custos com energia elétrica comprada para revenda. Endividamento e Patrimônio Líquido O total da dívida consolidada da Copel somava R$ 7.089,8 milhões em 30 de setembro de 2015, representando 20 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 endividamento de 49,7% sobre o patrimônio líquido consolidado, o qual, ao final do período, era de R$ 14.262,3 milhões, equivalente a R$ 52,12 por ação (Valor Patrimonial por Ação – VPA). A composição dos saldos de empréstimos, financiamentos e debêntures está demonstrada na tabela a seguir: R$ mil

Total Moeda Estrangeira

Tesouro Nacional

106.491

Total

106.491

Eletrobras - COPEL

98.999

FINEP Moeda Nacional

28.880

BNDES

1.689.513

Banco do Brasil S/A e outros

1.475.167

Debêntures

3.690.781

Total

6.983.340

TOTAL

7.089.831

A seguir demonstramos o vencimento das parcelas dos empréstimos, financiamentos e debêntures: R$ mil

Curto Prazo

Longo Prazo

out/15 - set/16 out/16 - dez/16 Moeda Nacional

627.521

793.317

1.999

-

629.520

793.317

Moeda Estrangeira TOTAL

2017 1.665.770 1.665.770

2018 1.483.750 1.483.750

2019

2020

915.375

464.674

-

-

915.375

464.674

Total

A partir de 2021 1.032.933

6.983.340

104.492

106.491

1.137.425

7.089.831

Até 30 de setembro de 2015 a Companhia concedeu R$ 1.103,9 milhões em avais e garantias, conforme tabela a seguir. R$ mil Avais e Garantias¹

Participação

SPEs

set/15 1.103.947

Transmissora Sul Brasileira

20,00%

67.650

Caiuá Transmissora

49,00%

42.021

Integração Maranhense

49,00%

69.812

Matrinchã Transmissora

49,00%

328.361

Guaraciaba Transmissora

49,00%

203.274

Costa Oeste

51,00%

17.190

Mata de Santa Genebra

50,10%

236.335

Paranaíba

24,50%

96.303

Marumbi

80,00%

TOTAL

43.000 1.103.947

¹ Proporcional à participação da Copel nos empreendimentos .

A dívida líquida consolidada da Copel (empréstimos, financiamentos e debêntures, menos disponibilidades) e a relação Dívida Líquida/LAJIDA são demonstradas no gráfico a seguir: 21 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 2,7

7.000

3,0

6.000

2,5 2,0

4.000

1,5

3.000

5.773

0,5

2.280

1.000 -

1,0

4.723

2.000

(407)

1.014

541

vezes

R$ milhões

5.000

0,0

(1.000)

-0,5 2010

2011

2012

Dívida Líquida

2013

2014

9M15

Dívida Líquida/EBITDA¹

¹ LAJIDA anualizado

Contas a pagar vinculadas à concessão – Utilização do Bem Público Refere-se aos encargos de outorga de concessão pela Utilização do Bem Público (UBP) incorridos a partir da assinatura do contrato de concessão do empreendimento até a data final da concessão. R$ mil

Mauá

Colíder

Baixo Iguaçu

PCHs¹

Elejor

Total

15.140

21.037

6.119

2.795

473.444

518.535

¹Referente às PCHs Cavernoso, Apucaraninha, Chopim I , Chaminé e Derivação Rio Jordão.

Provisões para Litígios A Companhia responde por diversos processos judiciais perante diferentes tribunais e instâncias. A Administração da Copel, fundamentada na opinião de seus assessores legais, mantém provisão para litígios sobre as causas cuja probabilidade de perda é considerada provável. Os saldos das provisões para litígios são os seguintes:

Perdas Prováveis - Consolidado

set/15 (1)

dez/14 (2)

set/14

Var %

R$ mil Var %

(3)

(1/2)

(1/3)

Fiscais

327.294

291.844

288.685

12,1

13,4

Trabalhistas

393.595

326.246

263.142

20,6

49,6

104.671

114.543

99.899

(8,6)

4,8

755.077

742.544

11,4

13,3

Benefícios a Empregados Cíveis Fornecedores Cíveis e direito administrativo Servidões de passagem Desapropriações e patrimoniais Consumidores Ambientais Regulatórias TOTAL

841.048 34.950

60.680

62.033

(42,4)

(43,7)

301.554

256.169

252.822

17,7

19,3

43.791

25.407

19.629

72,4

123,1

444.904

402.219

397.618

10,6

11,9

15.849

10.602

10.442

49,5

51,8

563

479

237

17,5

137,6

51.295

58.443

52.435

1.718.466

1.546.632

1.446.942

(12,2)

(2,2)

11,1

18,8

As causas classificadas como perdas possíveis, estimadas pela Companhia e suas controladas ao final do período, totalizaram R$ 3.601,1 milhões, montante 31,5% maior ao registrado em dezembro de 2014, 22 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 distribuídos em ações das seguintes naturezas: fiscais - R$ 1.384,2 milhões; cíveis - R$ 841,8 milhões; trabalhistas - R$ 660,9 milhões; regulatórias - R$ 629,6 milhões, e benefícios a empregados - R$ 84,5 milhões. O principal aumento refere-se ao mandado de segurança impetrado pela Abradee visando a anulação do processo promovido pela Energia Sustentável do Brasil S.A. – ESBR, que a isenta da responsabilização dos prejuízos resultantes dos atrasos no cronograma da UHE Jirau e expõem as distribuidoras ao Mercado de Curto Prazo. A liminar proferida no mandado de segurança desobrigou a Copel Dis do desembolso de R$ 607,5 milhões referentes à liquidação da competência de agosto/2015. R$ mil Passivo CIRCULANTE Obri ga ções s oci a i s e tra ba l hi s ta s Fornecedores

set/15

dez/14

set/14

Var.%

Var.%

(1)

(2)

(3)

(1/2)

(1/3)

4.046.369

4.055.393

3.837.284

(0,2)

227.844

252.618

213.987

(9,8)

5,4 6,5

1.811.769

1.587.205

1.335.890

14,1

35,6

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

326.468

309.881

368.522

5,4

(11,4)

Outra s obri ga ções fi s ca i s

244.124

137.329

263.722

77,8

(7,4)

Emprés ti mos , fi na nci a mentos e debêntures

629.521

1.299.117

1.255.555

(51,5)

(49,9)

18.495

19.691

4.580

(6,1)

303,8

Di vi dendos a pa ga r Benefíci os pós -emprego

36.814

37.404

30.918

(1,6)

19,1

Enca rgos do cons umi dor a recol her

394.930

23.233

23.986

-

-

Pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

158.050

175.972

124.414

(10,2)

27,0

55.196

54.955

52.936

0,4

4,3

Conta s a pa ga r vi nc. à conces s ã o - Us o do Bem Públ i co

143.158

157.988

162.774

(9,4)

(12,1)

NÃO CIRCULANTE

Outra s conta s a pa ga r

10.105.646

7.879.969

7.904.051

28,2

27,9

Fornecedores

14.249

17.625

32.925

(19,2)

(56,7)

-

15.218

312.101

-

-

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos Outra s obri ga ções fi s ca i s

256.226

87.129

81.567

194,1

214,1

6.460.310

4.755.281

4.396.427

35,9

46,9

Benefíci o pós -emprego

940.866

861.214

989.863

9,2

(4,9)

Pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

240.085

159.792

218.162

50,2

10,0

Conta s a pa ga r vi ncul a da s à conces s ã o - Us o do Bem Públ i co

463.339

436.772

425.833

6,1

8,8

Emprés ti mos , fi na nci a mentos e debêntures

Outra s conta s a pa ga r

12.105

306

231

-

-

Provi s ões pa ra l i tígi os

1.718.466

1.546.632

1.446.942

11,1

18,8

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

14.262.309

13.682.780

13.753.348

4,2

3,7

Atribuível aos acionistas da empresa controladora

13.901.029

13.330.689

13.380.580

4,3

3,9

6.910.000

6.910.000

6.910.000

920.829

976.964

904.472

Ca pi ta l Soci a l Ajus tes de a va l i a çã o pa tri moni a l Res erva l ega l Res erva de retençã o de l ucros Di vi dendo a di ci ona l propos to Lucros a cumul a dos Atribuível aos acionistas não controladores TOTAL

(5,7)

1,8

685.147

685.147

624.849

-

9,7

4.516.825

4.516.825

3.897.833

-

15,9

-

241.753

-

-

868.228

-

1.043.426

-

(16,8)

-

361.280

352.091

372.768

2,6

(3,1)

28.414.324

25.618.142

25.494.683

10,9

11,5

23 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

4. Desempenho das Principais Empresas 4.1 Copel Geração e Transmissão No 3T15, a receita operacional da Copel GeT atingiu R$ 596,0 milhões, valor 7,0% inferior aos R$ 641,1 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, em decorrência, principalmente, da redução de 6,5% da receita de suprimento de energia, reflexo do menor volume de energia vendido no MCP alinhado ao menor valor do PLD no período, e da redução de 6,6% na receita de fornecimento impactada pelo menor volume dos contratos no mercado livre. Os custos e despesas operacionais apresentaram redução de 22,8% no 3T15 em relação ao 3T14, e alcançaram R$ 409,2 milhões, influenciados pelo menor custo com energia elétrica comprada para revenda, reflexo do menor PLD médio (R$ 192,70/MWh no 3T15 contra R$ 647,19/MWh no 3T14) e do menor GSF médio no período (86,5% no 3T15 e 84,8% no 3T14). O resultado de equivalência patrimonial alcançou R$ 57,8 milhões no período, montante 11,8% menor que o registrado no mesmo período de 2014, motivado, principalmente pelo menor despacho da UTE Araucária. No 3T15 a Copel GeT apresentou lucro líquido de R$ 172,1 milhões e LAJIDA de R$ 312,2 milhões. Principais Indicadores

3T15

2T15

3T14

Var.%

9M15

9M14

Var.%

(1)

(2)

(3)

(1/3)

(4)

(5)

(4/5)

2.164,5

2.294,4

(5,7)

926,2

1.365,7

(32,2)

Receita Operacional Líquida (R$ milhões)

596,0

659,6

641,1

(7,0)

Resultado Operacional (R$ milhões)

230,2

141,9

213,3

7,9

Lucro Líquido (R$ milhões)

172,1

123,8

165,5

4,0

704,5

986,8

(28,6)

LAJIDA (R$ milhões)

312,2

139,1

248,6

25,6

1.073,8

1.475,0

(27,2)

Margem Operacional

38,6%

21,5%

33,3%

16,1

42,8%

59,5%

(28,1)

Margem Líquida

28,9%

18,8%

25,8%

11,9

32,5%

43,0%

(24,3)

Margem LAJIDA

52,4%

21,1%

38,8%

35,1

49,6%

64,3%

(22,8)

Programa de Investimento (R$ milhões)

353,6

327,6

324,8

8,9

861,3

612,6

40,6

Nos nove primeiros meses de 2015, a Copel GeT apresentou uma receita operacional de R$ 2.164,5 milhões, redução de 5,7% em comparação ao mesmo período do ano anterior, enquanto que os custos e despesas operacionais apresentaram um crescimento 22,8% até setembro de 2015, totalizando R$ 1.568,3 milhões. Com isso o lucro líquido atingiu R$ 704,5 milhões e o LAJIDA totalizou R$ 1.073,8 milhões, redução, respectivamente, de 28,6% e 27,2% em relação ao verificado nos nove primeiros meses de 2014.

4.2 Copel Distribuição No 3T15 a receita operacional líquida da Copel Distribuição atingiu R$ 2.136,5 milhões, valor 3,2% superior aos R$ 2.070,0 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, em decorrência, principalmente, da Revisão Tarifária Extraordinária que reajustou em 36,79% as tarifas a partir de 02 de março de 2015, e do reajuste de 15,32% aplicado às tarifas da Copel Distribuição a partir de 24 de junho de 2015, parcialmente compensada 24 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 pelo aumento dos encargos setoriais, que representaram 26,9% dos reajustes aplicados às tarifas, pela retração do mercado de energia no período que resultou na frustração de receita de R$ 42,0 milhões, sendo R$ 22,0 milhões referente à menor recomposição dos componentes financeiros previstos no reajuste tarifário e R$ 20,0 milhões referente à menor recomposição de receita relacionada à cobertura dos custos gerenciáveis (Parcela B). Além disso, a receita também foi impactada negativamente em R$ 36,0 milhões em decorrência do diferencial de alíquota efetiva do PIS e da COFINS, os quais serão parcialmente recuperados em períodos subsequentes. Os custos e despesas operacionais aumentaram 16,4%, alcançando R$ 2.289,5 milhões no período, reflexo (a) do aumento de 21,1% nos custos com energia elétrica comprada para revenda, em função do maior custo com aquisição de energia de Itaipu, em razão do reajuste da tarifa e da valorização do dólar, e do fim do repasse de recursos da CDE e da Conta ACR, que totalizaram R$ 95,6 milhões no 3T14, parcialmente compensado pelo menor custo com aquisição de energia nos leilões (CCEAR) em decorrência do maior volume de contrato de cotas de garantia física das UHEs que tiveram suas concessões prorrogadas nos termos da Lei 12.783/13, ao preço médio de R$ 30,92/MWh, (b) do crescimento de 34,0% em encargos de uso da rede em razão da entrada em operação de novos ativos no sistema e do maior custo com encargos dos serviços do sistema (ESS) devido ao maior despacho de usinas térmicas fora da ordem de mérito, (c) aumento de R$ 11,0 milhões em amortização em decorrência da transferência do ativo financeiro para o ativo intangível, conforme Despacho Aneel nº 3.592, de 28 de outubro de 2015, (d) efeito não recorrente de R$ 11,0 milhões em perdas na desativação e alienação de bens, reflexo da baixa do ativo imobilizado, e (e) por maiores encargos trabalhistas, principalmente horas extras e sobreaviso, os quais estão relacionados aos grande número de intempéries climáticas no período. A Copel Distribuição registrou prejuízo de R$ 73,1 milhões e LAJIDA negativo de R$ 85,5 milhões no 3T15.

3T15

2T15

3T14

Var.%

9M15

9M14

Var.%

(1)

(2)

(3)

(1/3)

(4)

(5)

(4/5)

2.136,5

2.482,2

2.070,0

3,2

7.217,3

(109,3)

217,3

78,0

-

155,6

(264,3)

-

Lucro Líquido (R$ milhões)

(73,1)

142,5

51,3

-

98,2

(177,6)

-

LAJIDA (R$ milhões)

(85,5)

195,7

158,2

-

159,1

(158,0)

-

Principais Indicadores Receita Operacional Líquida (R$ milhões) Resultado Operacional (R$ milhões)

5.327

35,5

Margem Operacional

-

8,8%

3,8%

-

2,2%

-

-

Margem Líquida

-

5,7%

2,5%

-

1,4%

-

-

Margem LAJIDA

-

7,9%

7,6%

-

2,2%

-

-

291,9

(48,3)

774,0

0,6

Programa de Investimento (R$ milhões)

151,0

169,1

486,3

Nos nome primeiros meses de 2015 a Copel Distribuição registrou receita líquida de R$ 7.217,3 milhões, crescimento de 35,5% em relação ao mesmo período de 2014, enquanto que os custos e despesas operacionais apresentaram crescimento de 28,2%, atingindo R$ 7.241,2 milhões até setembro de 2015. Com isso, o lucro líquido atingiu R$ 98,2 milhões contra um prejuízo de R$ 177,6 milhões apresentado no mesmo período de 2014. O LAJIDA atingiu R$ 159,1 milhões no período frente ao LAJIDA negativo de R$ 158,0 milhões registrado até setembro de 2014. 25 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 4.3 Copel Telecomunicações A receita operacional da Copel Telecomunicações atingiu R$ 71,5 milhões no 3T15, valor 32,1% superior aos R$ 54,1 milhões registrados no mesmo período do ano anterior em decorrência, principalmente, da ampliação da área de atuação e do atendimento a novos clientes. Os custos e despesas operacionais tiveram aumento de 57,6%, alcançando R$ 50,6 milhões no 3T15, influenciados pelo aumento da rubrica "outros custos e despesas operacionais", reflexo da readequação dos contratos de aluguéis e compartilhamento de instalações e, crescimento dos custos com pessoal e com planos previdenciário e assistencial, devido a reestruturação ocorrida na Companhia no segundo semestre de 2014. O lucro líquido do período foi de R$ 14,3 milhões, retração de 5,6% em relação ao 3T14. O LAJIDA teve uma redução de 0,6%, alcançando R$ 29,0 milhões ante os R$ 29,2 milhões verificados no mesmo período do ano anterior. Principais Indicadores

3T15

2T15

3T14

Var.%

9M15

9M14

Var.%

(1)

(2)

(3)

(1/3)

(4)

(5)

(4/5)

Receita Operacional Líquida (R$ milhões)

71,5

67,9

54,1

32,1

204,1

151,7

34,6

Resultado Operacional (R$ milhões)

21,4

22,0

22,8

(6,2)

65,4

65,0

0,6

Lucro Líquido (R$ milhões)

14,3

14,7

15,1

(5,6)

43,4

43,0

1,0

LAJIDA (R$ milhões)

29,0

29,6

29,2

(0,6)

87,5

83,3

5,0

Margem Operacional

29,9%

32,5%

42,1%

(28,9)

32,0%

42,8%

(25,2)

Margem Líquida

19,9%

21,6%

27,9%

(28,5)

21,3%

28,3%

(25,0)

Margem LAJIDA

40,6%

43,7%

53,9%

(24,8)

42,9%

54,9%

(22,0)

28,8

25,6

30,0

(3,9)

79,5

72,0

10,4

Programa de Investimento (R$ milhões)

Até setembro de 2015 a Copel Telecom registrou crescimento de 34,6% na receita operacional em comparação como mesmo período de 2014, totalizando R$ 204,1 milhões. Já os custos e despesas operacionais atingiram R$ 139,7 milhões, crescimento de 56,3% no período. A Copel Telecom apresentou lucro líquido de R$ 43,4 milhões até setembro de 2015, em linha com o apresentado no mesmo período de 2014 (R$ 43,0 milhões), enquanto que o LAJIDA apresentou crescimento de 5,0% no período, totalizando R$ 87,5 milhões.

4.4 UEG Araucária No 3T15, a UTE Araucária apresentou uma receita líquida de R$ 286,6 milhões, redução de 38,5% em relação ao registrado no 3T14, reflexo do menor volume de energia despachada no período (548 GWh no 3T15 contra 796 GWh no 3T14). Os custos e despesas operacionais registraram retração de 2,4% devido, principalmente, ao menores gastos com matéria-prima e insumos para produção de energia em decorrência do menor despacho. Com isso, o lucro líquido registrado foi de R$ 23,1 milhões, 67,9% inferior ao registrado no 3T14. O LAJIDA alcançou R$ 16,4 milhões, redução de 84,0% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Nos nove primeiros meses de 2015, a UTE Araucária registrou queda de 6,8% na receita operacional, totalizando R$ 1.406,8 milhões frente aos R$ 1.508,9 milhões registrados nos 9M14. Já os custos e despesas operacionais atingiram R$ 1.029,2 milhões, retração de 6,3% em comparação com o mesmo período de 2014. Assim, o lucro 26 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 líquido e o LAJIDA, até setembro de 2015, alcançaram, respectivamente, R$ 278,4 milhões e R$ 402,4 milhões, retração de 12,2% e 7,8%. Principais Indicadores Receita Operacional Líquida (R$ milhões)

3T15

2T15

3T14

Var.%

9M15

9M14

Var.%

(1)

(2)

(3)

(1/3)

(4)

(5)

(4/5)

286,6

560,2

465,8

(38,5)

1.406,8

1.508,9

(6,8)

Resultado Operacional (R$ milhões)

32,9

151,0

103,2

(68,2)

419,3

424,3

(1,2)

Lucro Líquido (R$ milhões)

23,1

99,9

72,1

(67,9)

278,4

317,0

(12,2) (7,8)

LAJIDA (R$ milhões)

16,4

147,4

102,6

(84,0)

402,4

436,5

11,5%

27,0%

22,1%

(48,2)

29,8%

28,1%

6,0

Margem Líquida

8,1%

17,8%

15,5%

(47,8)

19,8%

21,0%

(5,8)

Margem LAJIDA

5,7%

26,3%

22,0%

(74,1)

28,6%

28,9%

(1,1)

Margem Operacional

A UTE Araucária não possui contrato de disponibilidade e opera sob a modalidade “merchant”, sendo que a energia produzida é comercializada no mercado de curto prazo. A Copel consolida todo o resultado da UEGA, sendo que a parcela da Petrobras é identificada na linha “lucro atribuído aos acionistas não controladores”. Ver mais detalhes no Anexo III.

4.5 Informações Contábeis Na tabela a seguir apresentamos informações contábeis de setembro de 2015 referentes às principais participações da Copel: R$ mil

Participações -set/15

Ativo Total

Patrimônio Líquido¹

Rec. Oper. Líquida

Lucro Líquido

Controladas (Consolida com Copel) Compagas S.A.

582.017

296.465

1.228.211

18.439

Elejor S.A.

703.772

47.305

175.343

6.046

1.214.215

1.009.105

1.406.826

278.366

UEG Araucária Ltda Controladas em Conjunto (Equivalência Patrimonial) Costa Oeste Transmissora de Energia S.A.

101.670

62.293

14.120

9.532

Caiuá Transmissora de Energia S.A.

237.080

106.308

29.427

14.958

Cantareira Transmissora S.A

89.233

31.942

42.704

Dominó Holdings S.A.

495.890

487.185

-

Guaraciaba Transmissora de Energia (TP Sul) S.A.

962.072

332.442

230.444

34.523

Integração Maranhense Transmissora de Energia S.A.

468.884

210.453

99.983

24.750

Marumbi Transmissora de Energia S.A.

158.433

95.124

35.056

12.676

Mata de Santa Genebra S.A

534.996

59.176

87.802

1.477

Matrinchã Transmissora de Energia (TP Norte) S.A.

771 35.143

2.061.673

983.701

568.316

79.086

Paranaíba Transmissora de Energia S.A.

825.407

404.197

445.005

35.390

Transmissora Sul Brasileira de Energia S.A.

742.993

376.881

61.471

7.102

Voltália São Miguel do Gostoso Participações S.A

123.910

114.512

-

(8.139)

8.072.290

3.918.970

2.134.203

303.387

Dona Francisca Energética S.A.

217.425

199.566

51.838

24.924

Foz do Chopim Energética Ltda

45.821

40.349

35.761

21.349

Coligada (Equivalência Patrimonial) Sanepar

¹ Dados ajustados às práticas da COPEL.

27 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

5. Programa de Investimentos Para o ano de 2015, o programa de investimentos da Copel prevê o montante de R$ 2.476,9 milhões, dos quais R$ 586,8 milhões foram realizados no 3T15, conforme detalhado a seguir: R$ milhões

Realizado 3T15 353,6 131,8 5,1 28,2 0,9 10,3 6,0 1,7 42,3 42,1 9,5 75,6 151,0 28,8 12,4 7,8 33,2

Subsidiária / SPE Copel Geração e Transmissão UHE Colíder UHE Baixo Iguaçu LT Araraquara / Taubaté LT Figueira-Londrina / Foz do Chopim-Salto Osório SE Paraguaçu Paulista LT Bateias - Curitiba Norte LT Foz do Chopim - Realeza SPE Matrinchã Transmissora de Energia ¹ SPE Guaraciaba Transmissora de Energia ¹ SPE Mata de Santa Genebra Transmissão ¹ SPE Cantareira Transmissora de Energia ¹ Outros Copel Distribuição Copel Telecomunicações Holding Complexo Eólico Cutia Complexo Eólico Bento Miguel Complexo Eólico São Miguel do Gostoso 1 Outras Participações 2 TOTAL

586,8

Realizado 9M15 861,3 274,7 30,8 71,2 15,7 44,3 15,9 2,0 132,2 76,8 2,8 23,4 171,5 486,3 79,5 16,5 7,8 135,0

Previsto 2015 1.300,1 345,1 158,5 144,0 10,5 40,2 42,0 17,5 104,9 96,9 10,8 45,3 264,6 784,7 107,7 5,5 90,0 50,0 22,6 116,3

1.586,4

2.476,9

¹ Referente à participação da COPEL nos Empreendimentos . ² Inclui os blocos de gás e demais parques eólicos em fase final de construção .

6. Mercado de Energia e Tarifas 6.1 Mercado Cativo – Copel Distribuição A venda de energia para o mercado cativo da Copel Distribuição totalizou 18.032 GWh entre janeiro e setembro de 2015, aumento de 0,6% em comparação a o mesmo período de 2014. A tabela a seguir apresenta o comportamento do mercado cativo aberto por classe de consumo: N o de consumidores set/15 Residencial

set/14

3.501.313 3.415.335

Energia vendida (GWh)

Var. %

3T15

3T14

Var. %

9M15

9M14

Var. %

2,5

1.656

1.753

(5,5)

5.239

5.425

(3,4)

Industrial

89.551

91.366

(2,0)

1.754

1.749

0,3

5.172

5.037

2,7

Comercial

373.827

356.322

4,9

1.308

1.290

1,4

4.159

4.030

3,2

Rural

369.905

372.612

(0,7)

505

495

2,1

1.708

1.681

1,6

56.289

1,6

Outros Mercado Cativo

57.174 4.391.770

4.291.924

2,3

586 5.809

583 5.870

0,5

1.754

1.759

(0,3)

(1,0)

18.032

17.932

0,6

A classe residencial consumiu 5.239 GWh entre janeiro e setembro de 2015, registrando retração de 3,4%, 28 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 reflexo da conjuntura macroeconômica desfavorável, dos reajustes tarifários, que têm provocado a racionalização do uso da energia elétrica, e da elevada base de comparação de 2014 em função das altas temperaturas registradas no início daquele ano. Ao final de setembro esta classe era equivalente a 29,1% do mercado cativo, totalizando 3.501.313 consumidores residenciais. A classe industrial apresentou aumento de 2,7% no consumo de energia até setembro de 2015, totalizando 5.172 GWh, resultado impulsionado pelo bom desempenho dos setores de produtos alimentícios, papel e celulose, e produtos químicos. Ao final do período a classe industrial representava 28,7% do mercado cativo e eram atendidos 89.551 consumidores industriais. A classe comercial consumiu 4.159 GWh entre janeiro e setembro de 2015, o que representa um crescimento de 3,2% em relação ao mesmo período do ano anterior e reflete o aumento de 4,9% no número de clientes, parcialmente compensado pelo menor consumo médio decorrente do registro de temperaturas mais amenas no inicio de 2015. No final de setembro essa classe representava 23,1% do mercado cativo e eram atendidos 373.827 consumidores. A classe rural consumiu 1.708 GWh e cresceu 1,6% no período, reflexo da manutenção do bom desempenho do agronegócio paranaense. Ao final de setembro esta classe representava 9,4% do mercado cativo e eram atendidos 369.905 consumidores rurais. As outras classes (poderes públicos, iluminação pública, serviços públicos e consumo próprio) apresentaram uma ligeira queda em comparação com o mesmo período de 2014, totalizando 1.754 GWh. Em conjunto, essas classes eram equivalentes a 9,7% do mercado cativo, totalizando 57.174 consumidores no final do período.

6.2 Mercado Fio (TUSD) O mercado fio da Copel Distribuição, composto pelo mercado cativo, pelo suprimento a concessionárias e permissionárias dentro do Estado do Paraná e pela totalidade dos consumidores livres existentes na sua área de concessão, apresentou retração de 0,8% até setembro de 2015, conforme verificado na tabela abaixo: No de consumidores / Contratos

Mercado Cativo Concessionárias e Permissionárias Consumidores Livres ¹ Mercado Fio

set/15

set/14

4.391.770

4.291.924

6 127 4.391.903

Energia vendida (GWh)

Var. %

6 130 4.292.060

2,3 -

3T15

3T14

Var. %

9M15

9M14

Var. %

5.809

5.870

(1,0)

18.032

17.932

187

190

(1,5)

569

548

1122

(10,3)

3.058

3.362

(9,0)

(2,5)

21.659

21.842

(0,8)

(2,3)

1.006

2,3

7.002

7.182

0,6 3,8

¹ Total de consumidores livres atendidos pela Copel GeT e por outros fornecedores dentro da área de concessão da Copel DIS.

29 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 6.3 Fornecimento de Energia Elétrica O fornecimento de energia elétrica da Copel, que representa o volume de energia vendido aos consumidores finais e é composto pelas vendas no mercado cativo da Copel Distribuição e pelas vendas no mercado livre da Copel Geração e Transmissão, registrou expansão de 0,2% nos nove primeiros meses de 2015. A tabela a seguir apresenta o fornecimento de energia por classe de consumo: Classe

Energia vendida (GWh)

Mercado 3T15

Residencial

Industrial

Comercial

3T14

Var. %

9M15

9M14

Var. %

1.656

1.753

(5,5)

5.239

5.425

(3,4)

Total

2.749

2.765

(0,6)

8.126

8.048

1,0

Ca tivo

1.754

1.749

0,3

5.172

5.037

2,7

Li vre

995

1.016

(2,1)

2.954

3.011

(1,9)

Total

1.311

1.293

1,4

4.168

4.039

3,2

Ca tivo

1.308

1.290

1,4

4.159

4.030

9

9

1.708

1.681

1,6

Li vre

3

Rural

505

Outros Fornecimento de Energia

3

-

495

586

583

6.807

6.889

2,1

3,2 -

0,5

1.754

1.759

(0,3)

(1,2)

20.995

20.952

0,2

6.4 Total de Energia Vendida O total de energia vendida pela Copel, composto pelas vendas da Copel Distribuição, da Copel Geração e Transmissão e dos Parques Eólicos, em todos os mercados, atingiu 33.113 GWh em setembro de 2015, crescimento de 1,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. A tabela a seguir apresenta as vendas totais de energia da Copel: Nº de consumidores / contratos set/15

set/14

Energia vendida (GWh)

Var. %

3T15

3T14

Var. %

9M15

9M14

Var. %

Copel DIS Mercado Cativo

4.391.770

Concessionárias e Permissionárias CCEE (MCP) Total Copel DIS

4.291.924

4 -

4 -

4.391.774

2,3 -

4.326.974

1,5

5.809

5.870

(1,0)

18.032

17.932

176

177

(0,6)

527

522

0,6 1,0

202

107

88,8

366

275

33,0

6.187

6.154

0,5

18.925

18.729

1,0

Copel GeT CCEAR (Copel DIS)

1

1

48

103

(53,2)

170

299

(43,2)

CCEAR (outras concessionárias )

40

41

(2,4)

-

1.057

1.144

(7,6)

3.333

3.496

(4,7)

Consumidores Livres

28

29

(3,4)

998

1.019

(2,0)

2.963

3.020

(1,9)

Contratos Bilaterais ¹

52

32

62,5

1.683

1.816

(7,3)

5.085

5.534

(8,1)

139

429

(67,6)

1.807

1.498

20,7

3.925

4.511

(13,0)

13.358

13.847

(3,5)

CCEE (MCP)²

-

-

-

Total Copel GeT

121

103

112

-

-

212

-

-

564

-

-

3

-

-

90

-

-

266

-

-

115

-

-

302

-

-

830

-

-

17,5

Copel Renováveis CCEAR (outras concessionárias ) CER Total Copel Ren Total Copel Consolidado

4.392.010

4.327.077

1,5

10.413

10.665

(2,4)

33.113

32.576

1,6

Obs.: Não considera a energia disponibilizada através do MRE (Mecanismo de Realocação de Energia ). ¹ Inclui Contratos de Venda no Curto Prazo. ² Garantia Física alocada no período, não considera o impacto do GSF. CCEE: Câmara de Comercialização de Energia Elétrica / CCEAR: Contratos de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado / MCP: Mercado de Curto Prazo/ CER: Contrato de Energia de Reserva.

30 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Adicionalmente, a energia despachada pela UTE Araucária totalizou 2.420 GWh entre janeiro e setembro de 2015. Toda a energia gerada pela usina é comercializada no mercado de curto prazo (MCP). GWh UTE Araucária (UEGA) Geração Própria ¹

3T15 (1)

2T15 (2)

3T14 (3)

Var. % (1/3)

9M15 (4)

9M14 (5)

Var. % (4/5)

548

909

796

(31,2)

2.420

2.326

4,1

Fonte: ONS ¹ Valor da geração bruta verificada pelo ONS, sem considerar as perdas da Rede Básica associadas ao empreendimento.

6.5 Fluxos de Energia Fluxo de Energia – Copel Dis GWh

Fluxo de Energia - Copel Dis Itaipu

9M15

9M14

Var. %

4.444

4.390

1,2

170

299

(43,1)

10.970

11.582

(5,3)

1.303

-

-

396

1.505

(73,7)

Angra

786

783

0,4

CCGF

2.024

981

106,3

Itiquira

-

452

-

Proinfa

438

430

1,9

CCEAR – Copel Geração e Transmissão CCEAR – Outras CCEAR – Leilão de ajuste CCEE (MCP)

Elejor S.A

887

887

-

Disponibilidade

21.418

21.309

0,5

Mercado cativo

0,6

18.032

17.932

Concessionárias

527

522

1,0

CCEE (MCP)

366

275

33,1 (3,4)

Perdas e diferenças

2.493

2.580

Rede básica

430

406

5,9

Distribuição

1.807

1.934

(6,6)

256

240

6,7

Alocação de contratos no CG

Fluxo de Energia – Copel GeT GWh

Fluxo de Energia - Copel GeT Geração Própria CCEE (MCP) MRE Dona Francisca

9M15

9M14

17.939

18.504

Var. % (3,1)

-

-

-

144

-

-

222

458

(51,5)

Disponibilidade Total

18.305

18.962

(3,5)

Contratos Bilaterais

5.085

5.534

(8,1)

CCEAR – COPEL Distribuição

170

299

(43,1)

CCEAR – Outras

3.334

3.496

(4,6)

Consumidores Livres

2.962

3.020

(1,9)

CCEE (MCP)

1.807

1.498

20,6

MRE

4.509

4.531

(0,5)

438

584

(25,0)

Perdas e diferenças

31 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Fluxo de Energia – Parques Eólicos Fluxo de Energia - São Bento Energia

9M15

Geração Própria

250

CCEE (MCP)

61

Disponibilidade Total

311

CCEAR – COPEL Distribuição

-

CCEAR – Outras

286

CCEE (MCP)

-

Perdas e diferenças

25

Fluxo de Energia - Brisa Potiguar

9M15

Geração Própria

172

CCEE (MCP)

226

Disponibilidade Total

398

CCEAR – COPEL Distribuição

-

CCEAR – Outras

277

CER

267

CCEE (MCP)

-

Perdas e diferenças

(146)

Fluxo de Energia Consolidado (Jan/ Set 2015) GWh Geração Própria

Mercado Cativo

18.361

18.032

45,4%

44,6%

Concessionárias 527

1,3%

Consumidores Livres Disponibilidade Total 40.432 Energia Comprada 22.071

54,6%

2.962

7,3%

Energia Suprida 16.101

39,8%

Contratos Bilaterais

5.085

CCEAR:

4.067

CCEAR: 12.443 Itaipu: 4.444 Itiquira: -

CER:

267

CCEE (MCP):

2.173

MRE:

4.509

Dona Francisca: 222 CCEE (MCP): 683 Angra: 786 CCGF: 2.024

Perdas e Diferenças 2.810

6,9%

MRE: 144

Rede Básica

747

Elejor: 887

Distribuição

1.807

Proinfa: 438

Alocação de contratos no CG:

256

CCEAR: Contrato de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado. CER: Contrato de Energia de Reserva. CCEE (MCP): Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (Mercado de Curto Prazo). MRE: Mecanismo de Realocação de Energia . CG: Centro de Gravidade do Submercado (diferença entre a energia faturada e a recebida no CG). Não considera a energia produzida pela UTE Araucária vendida no mercado de curto prazo (MCP). * Valores sujeitos a arredondamentos.

32

Earnings Release 3T15 6.6 Tarifas Tarifas médias de Suprimento de Energia – Copel Geração e Transmissão R$ / MWh

Tarifas

Quantidade

set/15

jun/15

set/14

Var. %

Var. %

MW médio

(1)

(2)

(3)

(1/2)

(1/3)

Copel Geração e Transmissão

505

Leilão – CCEAR 2007 - 2014

158,10 -

151,92

-

-

154,32

4,1

122,61

-

2,5 -

Leilão – CCEAR 2008 - 2015

74

141,46

135,98

130,47

4,0

8,4

Leilão – CCEAR 2009 - 2016

213

162,87

154,57

149,68

5,4

8,8

94

184,33

176,46

170,01

4,5

8,4

195,28

7,1

Leilão – CCEAR 2011 - 2040 (UHE Mauá) Leilão – CCEAR 2013 - 2042 (Cavernoso II)¹

-

Leilão - CCEAR 2014 (12 meses)

-

192,86

182,37

1,3

-

-

191,80

-

-

124

139,96

137,34

1,9

-

Concessionárias no Estado do Paraná

81

272,32

251,49

193,39

8,3

40,8

Total / Tarifa Média Ponderada de Suprimento

586

173,94

166,65

159,19

4,4

9,3

Leilão - CCEAR 2015 - 2045 (UHE Colíder)

-

Copel Distribuição

¹ A operação comercial da PCH Cavernoso II está suspensa desde 24.09.2014.

Tarifas Médias de Compra de Energia – Copel Distribuição R$ / MWh

Tarifas 1

set/15

jun/15

set/14

Var. %

Var. %

MW médio

(1)

(2)

(3)

(1/2)

(1/3)

634

396,08

346,71

142,35

14,2

Lei l ã o 2007 - 2014

50

-

-

157,86

-

Lei l ã o 2008 - 2015

52

143,93

135,42

132,75

6,3

8,4

Lei l ã o 2010 - H30

70

194,04

194,04

178,89

-

8,5

65

205,46

205,46

189,41

-

8,5

Itai pu

Lei l ã o 2010 - T15

2

178,3 -

58

199,22

199,22

183,66

-

8,5

Lei l ã o 2011 - T15

2

54

226,55

226,55

208,85

-

8,5

Lei l ã o 2012 - T15

2

115

203,23

203,23

187,36

73

331,11

386,03

439,30

187

292,93

292,94

270,81

-

8,2

Lei l ã o 2014 - 12M

329

-

-

191,41

-

-

Lei l ã o 2014 - 18M

19

-

175,79

165,20

-

-

Lei l ã o 2014 - 36M

163

159,60

159,60

149,99

-

6,4

Angra

119

170,38

170,38

150,83

-

13,0

CCGF 5

150

30,31

32,74

32,82

(7,4)

(7,6)

Sa nto Antôni o

92

123,48

116,08

113,83

6,4

8,5

131

108,61

102,10

100,12

6,4

8,5

444

129,80

216,26

281,68

(40,0)

(53,9)

187

210,32

210,32

203,12

-

3,5

2.993

204,25

213,44

185,89

Lei l ã o 2011 - H30

Lei l ã o CCEAR 2014 - 2019 ³ Lei l ã o CCEAR 2014 - 2019

4

Ji ra u Outros Lei l ões

6

Bi l a tera i s

Total / Tarifa Média de Compra 1

Quantidade

(14,2)

(4,3)

8,5 (24,6)

9,9

Transporte de Furnas não incluído.

2

Preço médio do leilão corrigido pelo IPCA. Na prática o preço é formado por 3 componentes: parcela fixa, parcela variável e despesa na ³ Disponibilidade. 4

Quantidade. Contrato de cotas de garantia física das UHEs que tiveram suas concessões prorrogadas nos termos da Lei 12.783/13. 6 Preço médio ponderado dos produtos . 5

33 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Tarifas Médias de Fornecimento de Energia Copel Distribuição – sem ICMS set/15 (1)

jun/15 (2)

set/14 (3)

Var. % (1/2)

Var. % (1/3)

Industrial ²

418,28

361,91

263,28

15,6

58,9

Residencial

492,11

430,85

327,49

14,2

50,3

Comercial

462,49

401,72

300,46

15,1

53,9

Rural

316,44

265,09

203,17

19,4

55,7

Outros

357,86

307,95

233,21

16,2

53,5

433,92

376,65

282,48

15,2

53,6

Tarifas¹

Tarifa média de fornecimento ¹ Não considera as bandeiras tarifárias . ² Não inclui consumidores livres .

7. Mercado de Capitais 7.1 Capital Social O capital social da Copel é de R$ 6.910,0 milhões, composto por ações sem valor nominal e o número atual de acionistas é de 24.791. Em setembro de 2015, o capital da Companhia estava assim representado: Mil ações

Acionistas

ON

%

PNA

%

PNB

%

Estado do Paraná

85.029

58,6

-

-

-

BNDESPAR

38.299

26,4

-

-

27.282

Eletrobras

1.531

1,1

-

-

-

Custódia da Bolsa

19.875

13,7

128

33,7

100.915

BM&FBovespa

18.749

12,9

128

33,7

1.126

0,8

-

-

-

-

NYSE LATIBEX

-

21,3 -

31,0

65.581

24,0 0,6

120.918

44,2

62.874

49,0

81.751

29,9

37.972

29,6

39.098

14,3

-

69

0,1

69

-

0,2

252

66,3

47

TOTAL

145.031

100,0

380

100,0

128.244

100,0

-

596

0,2

273.655

100,0

PN

ON 21,2%

58,6%

Estado do Paraná

BNDESPAR

0,2%

BNDESPAR

1,1%

85.029

78,7

297

13,7%

%

1.531

Outros

0,2%

TOTAL

Custódia da Bolsa

Eletrobras

Outros

Custódia da Bolsa Outros

78,6%

26,4%

Total 0,2% 44,2%

31,0% Estado do Paraná BNDESPAR Eletrobras Custódia da Bolsa Outros

0,6% 24,0% * Valores sujeitos a arredondamentos.

34

Earnings Release 3T15 7.2 Desempenho das Ações

Desempenho das Ações (Jan -Set/ 15)

ON (CPLE3 / ELPVY) Total

Negócios BM&FBovespa

Total

Média diária

37.888

204

663.277

3.566

70.381

112.020.500

602.261

293.751

1.579

3.718.985

19.995

186

100%

186

100%

507.969

3.432

119.434.745

638.688

3.553

24

1.271.474

6.799

148

79%

187

100%

Quantidade

-

-

268.069

1.473

Volume (Euro mil)

-

-

2.544

14

Presença nos Pregões

-

-

182

95%

Volume (R$ mil)

Quantidade Volume (US$ mil) Presença nos Pregões

LATIBEX

Média diária

13.090.800

Quantidade

Presença nos Pregões

NYSE

PNB (CPLE6 / ELP / XCOP)

De janeiro a setembro de 2015 as ações em circulação totalizaram 44,2% do capital da Companhia. Ao final de setembro de 2015, o valor de mercado da Copel, considerando as cotações de todos os mercados, ficou em R$ 7.322,1 milhões. Dos 66 papéis que compõem a carteira teórica do Ibovespa, as ações PNB da Copel participam com 0,4% e com índice Beta de 0,8. Na carteira do IEE (Índice Setorial de Energia Elétrica), a Copel participa com 7,2%. No Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa (ISE), a Copel PNB tem participação de 0,9% e a Copel ON de 0,1%. Na BM&FBovespa as ações ordinárias nominativas (ON - código CPLE3) e as ações preferenciais nominativas classe B (PNB - código CPLE6) da Copel estiveram presentes em 100% dos pregões da Bolsa de Valores, Mercadoria e Futuros (BM&FBovespa). As ações ON fecharam o período cotadas a R$ 21,55 e as ações PNB a R$ 32,64, com variações negativa de 13,5% e 9,1% respectivamente. No mesmo período o Ibovespa teve variação negativa de 9,9%. Na Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE), as ações PNB são negociadas no “Nível 3” na forma de ADS’s, sob o código ELP, as quais estiveram presentes em 100% dos pregões, fechando o período cotadas a US$ 8,21 com variação negativa de 37,7%. Neste mesmo período o índice Dow Jones teve variação negativa de 8,9%. No Latibex (Mercado de Valores Latino-Americano em Euros), vinculado à Bolsa de Valores de Madri, as ações PNB da Companhia são negociadas sob o código XCOP, as quais estiveram presentes em 95% dos pregões, fechando o período cotadas a € 7,44 com variação negativa de 33,2%. No mesmo período o índice Latibex All Shares teve variação negativa de 34,1%. A tabela a seguir sintetiza o comportamento das ações da Copel nos primeiros nove meses do ano.

35 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Cotações em 30.09.2015

Preço / Pontos 30.09.2015 31.12.2014

Código / Índice

BM&FBovespa

CPLE3

R$ 21,55

R$ 24,90

(13,5)

CPLE6

R$ 32,64

R$ 35,90

(9,1)

50.007

(9,9)

US$ 13,17

(37,7)

17.823

(8,9)

€ 11,13

(33,2)

1.742

(34,1)

Ibovespa

45.059

ELP

NYSE

US$ 8,21

Dow Jones

LATIBEX

Var. (%)

16.237

XCOP

€ 7,44

Latibex

1.148

7.3 Dividendos e JCP Na tabela a seguir estão discriminadas as distribuições de Dividendos e/ou JCP a partir de 2010:

Tipo de Provento

Exercício

Aprovado

Pagamento

Total

2010

JCP¹

2010

17/08/10

Dividendos

2010

28/04/11

JCP

2010

28/04/11

Total

2011

JCP¹

2011

11/08/11

JCP

2011

26/04/12

Total

2012

JCP¹

2012

19/12/12

15/01/13

Dividendos

2012

25/04/13

23/05/13

Total

2013

JCP¹

2013

13/11/13

Dividendos ¹

2013

Dividendos

2013

Total

2014

JCP¹

Valor Bruto R$ Mil

R$ por Ação ON

PNA

PNB

281.460

0,98027

2,52507

1,07854

20/09/10

85.000

0,29662

0,32638

0,32638

23/05/11

81.460

0,28328

1,04782

0,31167

23/05/11

115.000

0,40037

1,15087

0,44049

421.091

1,46833

2,52507

1,61546

15/09/11

225.814

0,78803

0,86706

0,86706

29/05/12

195.277

0,68030

1,65801

0,74840

268.554

0,93527

2,52507

1,02889

138.072

0,47920

2,52507

0,52720

130.482

0,45607

-

0,50169

560.537

1,95572

2,52507

2,15165

16/12/13

180.000

0,62819

0,69111

0,69111

13/11/13

16/12/13

145.039

0,50617

0,55688

0,55688

24/04/14

28/05/14

235.498

0,82136

1,27708

0,90366

622.523

2,17236

2,52507

2,39000

2014

24/10/14

21/11/14

30.000

0,10469

0,11519

0,11519

Dividendos ¹

2014

24/10/14

21/11/14

350.770

1,22416

1,34678

1,34678

Dividendos

2014

23/04/15

22/06/15

241.753

0,84351

1,06310

0,92803

¹ Antecipação

36 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

8. Performance Operacional 8.1 Geração Em Operação Copel Geração e Transmissão A seguir são apresentadas as principais informações do parque gerador da Copel GeT e a energia produzida entre janeiro e setembro de 2015. Capacidade Instalada (MW)

Garantia Física (MW médio)

4.732,1

2.057,7

17.878,9

Gov. Bento Munhoz da Rocha Netto (Foz do Areia)

1.676,0

576,0

4.823,0

23.05.2023

Gov. Ney Aminthas de B. Braga (Segredo)

1.260,0

603,0

5.343,4

15.11.2029

Gov. José Richa (Salto Caxias)

1.240,0

605,0

5.579,7

04.05.2030

260,0

109,0

710,2

07.07.2015

185,2

100,8

1.072,5

03.07.2042

36,0

16,1

115,8

16.08.2026

19,0

10,6

Chaminé

18,0

11,6

76,3

16.06.2026

Apucaraninha

10,0

6,7

49,3

12.10.2025

8,2

5,3

23,1

07.07.2015

Derivação do Rio Jordão

6,5

5,9

38,3

15.11.2029

Marumbi

4,8

2,4

17,2

(5)

2,3

1,5

12,5

03.12.2024

2,0

1,5

6,1

07.07.2015

Cavernoso

1,3

1,0

3,8

07.01.2031

Melissa

1,0

0,6

4,9

(7)

Salto do Vau

0,9

0,6

1,4

(7) (7)

Usinas Hidrelétricas

Gov. Pedro V. Parigot de Souza (Capivari-Cachoeira) Mauá

(3)

(1)(2)

Guaricana Cavernoso II

Mourão

(4)

(1)(2)

São Jorge Chopim I

(6)

Geração (GWh)

-

Pitangui

0,9

0,1

1,4

Termelétrica

20,0

10,3

57,4

Figueira

20,0

10,3

57,4

2,5

0,5

2,7

Eólica Eólica de Palmas

(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8)

2,5

(8)

TOTAL

4.754,6

0,5 2.068,5

2,7

Vencimento da Concessão

27.02.2046

26.03.2019

28.09.2029

17.939,0

Usina Hidráulica Cotista conforme portaria ANEEL nº 189/2015. Geração considerada até a data de 07.07.2015. Garantia Física da usina considerada até a data de vencimento da Concessão em 07.07.2015. Corresponde a parcela da Copel (51% do empreendimento de 363 MW). Usina em manutenção desde junho/2014, devido inundação. Em homologação na ANEEL. Extinção da Concessão a partir de 07.07.2015, para registro conforme REA ANEEL nº 5.373/2015. Usinas dispensadas de concessão, apenas com registro na ANEEL. Garantia Física considerada a geração média da eólica .

No dia 07 de julho de 2015 ocorreu o vencimento dos contratos de concessão da UHE Governador Parigot de Souza (260 MW) e da PCH Mourão I (8,2 MW), que estavam sob a titularidade da Copel Geração e Transmissão e correspondem a 5% da capacidade instalada em operação dos ativos pertencentes a Companhia. De 37 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 acordo com a Portaria nº 189, de 8 de maio de 2015, do Ministério de Minas e Energia, essas usinas permanecem sob a responsabilidade da Copel GeT para a prestação do serviço de geração de energia elétrica com vistas a garantir a continuidade do serviço, até que um novo processo licitatório seja realizado, sendo que a energia gerada por esses empreendimentos passou a ser alocada às distribuidoras no sistema de cotas, de acordo com a Lei nº 12.783 de 11 de janeiro de 2013. Através da Resolução Homologatória nº 1.924, de 28 de julho de 2015, a Aneel definiu as Receitas Anuais de Geração das usinas hidrelétricas em regime de cotas nos termos da Lei nº 12.783 de 11 de janeiro de 2013. Com isso, a Copel GeT passa a receber uma Receita Anual de Geração (RAG) total de R$ 34,2 milhões, dos quais (i) R$ 31,5 milhões correspondem à UHE Governador Parigot de Souza, (ii) R$ 2,1 milhões à PCH Mourão I, e (iii) R$ 631,9 mil à PCH Rio dos Patos (cujo contrato de concessão expirou em 14 de fevereiro de 2014). As respectivas RAGs são válidas para o período de 08 de julho de 2015 a 30 de junho de 2016, ou até que essas usinas sejam transferidas aos vencedores das licitações correspondentes, o que ocorrer primeiro. A Energia gerada pelo empreendimento é cotizada e, por essa razão não integra a garantia física da Copel GeT. A Lei 13.097/15, publicada em janeiro de 2015, alterou o limite de potência para as Centrais Geradoras de Hidroeletricidade – CGHs e para as Pequenas Centrais Hidroelétricas – PCHs. Com a alteração, o limite para as CGHs passou de 1 MW para 3 MW. Dessa forma, a usina Chopim I, anteriormente classificada como PCH passou a ser considerada CGH, sendo dispensada de concessão, necessitando apenas de registro na Aneel. Copel Renováveis Complexo Eólico São Bento Em 26 de fevereiro de 2015 teve início a operação comercial do Complexo Eólico São Bento, localizado no Rio Grande do Norte. O complexo é formado por 4 parques que possuem capacidade instalada de 94,0 MW e garantia física de 46,3 MW médios. A energia produzida foi comercializada no 2º Leilão de Fontes Alternativas, realizado em 26 de agosto de 2010, ao preço médio atualizado de R$ 188,88/MWh. Complexo Eólico Copel Brisa Potiguar No dia 21 de outubro de 2015 a Copel concluiu a instalação do Complexo Eólico Brisa Potiguar. Com a entrada em operação dos últimos seis aerogeradores do Parque Eólico Asa Branca II, a Copel passa a ter 11 parques eólicos em operação, todos localizados no Rio Grande do Norte, totalizando 277,6 MW de capacidade instalada.

38 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Capacidade Instalada (MW)

Garantia Física (MWméd)

Geração (GWh)

São Bento

94,0

46,3

246,2

188,88

Boa Vista

14,0

6,3

32,5

193,76

abr.46

30,0

15,3

84,5

188,11

mai.46

30,0

14,6

77,4

188,11

mai.46

20,0

10,1

51,8

188,11

abr.46

183,6

92,6

140,0

165,34

Asa Branca I

27,0

13,2

44,1

190,12

abr/46

Asa Branca II

27,0

12,8

41,1

190,12

mai.46 mai.46

Complexo Eólico

Leilão ¹

Olho d'Água

2º LFA (26/08/2010)

São Bento do Norte Farol Copel Brisa Potiguar

2º LFA (26/08/2010)

Asa Branca III

Preço ²

Vencimento da Autorização

27,0

12,5

20,8

190,12

Eurus IV

27,0

13,7

14,5

190,12

abr.46

Santa Maria

29,7

15,7

0,7

133,55

mai.47

29,7

15,7

7,6

133,55

abr.47

16,2

9,0

11,2

132,51

abr.47

277,6

138,9

386,2

173,19

4º LER (18/08/2011)

Santa Helena Ventos de Santo Uriel Total

¹LFA - Leilão de Fontes Alternativas/ LER - Leilão de Energia de Reserva. ² Preço atualizado até setembro/2015.

Participação em Empreendimentos de Geração A Copel tem participação em seis empreendimentos de geração de energia elétrica em fase operacional com capacidade instalada total de 1.786,6 MW, sendo 606 MW ajustados à participação da Copel, conforme demonstrado a seguir:

Capacidade Instalada (MW)

Garantia Física (MW médio)

UTE Araucária (UEG Araucária)

484,1

365,2

COPEL - 20% COPEL GeT - 60% Petrobras - 20%

UHE Santa Clara (Elejor)

123,4

72,4

COPEL - 70% Paineira Participações - 30%

UHE Fundão (Elejor)

122,5

67,9

COPEL - 70% Paineira Participações - 30%

UHE Dona Francisca (DFESA)

125,0

78,0

COPEL - 23,03% Gerdau - 51,82% Celesc - 23,03% Desenvix - 2,12%

COPEL GeT

ago/33

PCH Júlio de Mesquita Filho (Foz do Chopim)

29,1

20,4

COPEL - 35,77% Silea Participações - 64,23%

Consumidores livres

abr/30

526,6

COPEL - 0,82% CEB Lajeado - 16,98% Paulista Lajeado Energia S.A. - 5,94% EDP Energias do Brasil S.A. - 4,57% Lajeado Energia S.A. - 62,39% Furnas Centrais Elétricas S.A. - 0,21% Outros - 9,09%

Empreendimento

UHE Lajeado (Investco S.A.)

902,5

Sócios

PPA assinado com

Vencimento da Concessão

¹

dez/29

COPEL Dis Consumidores Livres COPEL Dis Consumidores Livres

²

out/36

out/36

dez/32

¹ A partir de 1º de fevereiro de 2014 a operação da Usina voltou a estar sob responsabilidade da UEGA. A UTE Araucária não possui contrato de disponibilidade e opera sob a modalidade “merchant”. ² Os ativos da UHE Lajeado estão arrendados às demais concessionárias da mesma em frações ideais dos ativos existentes .

39 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Participação em Parques Eólicos A Copel possui 49% de participação no Complexo Eólico São Miguel do Gostoso I, localizado no Estado do Rio Grande do Norte. O Complexo é composto por 4 parques eólicos com 108 MW de capacidade instalada. A energia foi comercializada no 4º Leilão de Energia de Reserva ao preço médio de R$ 98,92 /MWh em contratos de 20 anos com início de suprimento em julho de 2015, conforme tabela a seguir.

Empreendimento

Capacidade Instalada¹ Garantia Física Início de CAPEX³ Preço² (MW) (MWméd) Suprimento (R$ milhões)

Participação (%)

Localização do Parque

Vencimento da Autorização

Voltália - São Miguel do Gostoso I 4 Carnaúbas

27,0

13,1

127,1

Reduto

27,0

14,4

128,9

Santo Cristo

27,0

15,3

São João

27,0

14,3

108,0

57,1

Total

129,54

jun/15

128,9

abr/47 49% COPEL 51% Voltalia

São Miguel do Gostoso (RN)

128,9 129,54

abr/47 abr/47 mar/47

513,9

¹ A capacidade instalada prevista no Leilão foi alterada de acordo com as características dos equipamentos da Acciona Windpower , respeitando o volume de energia vendido ² Preço atualizado até setembro/2015. ³ CAPEX estimado pela Aneel na data do leilão 4

Empreendimentos aptos à operação comercial, aguardando conclusão de obras de transmissão.

Em abril de 2015 foram concluídas as obras desses parques eólicos. Através dos Despachos nº 2.233, de 09 de julho de 2015, e nº 2.538, de 05 de agosto de 2015, a Aneel considerou aptas à operação comercial as unidades geradoras dos Parques Eólicos Reduto, Carnaúbas, Santo Cristo e São João. No entanto, a operação comercial só terá início após a conclusão das obras das instalações de transmissão (ICG Touros) de responsabilidade do agente de transmissão, prevista para o primeiro semestre de 2016.

Em Construção Copel Geração e Transmissão A Copel GeT está construindo duas usinas hidrelétricas que irão adicionar um total de 405 MW em capacidade instalada ao seu parque gerador. Usinas

Capacidade Instalada (MW)

Garantia Física (MW médio)

Participação

UHE Colíder

300

179,6

100% Copel GeT

UHE Baixo Iguaçu

350

172,8

30% Copel GeT 70% Geração Céu Azul S.A

405

231,4

Total ¹ ¹ Ajustado à Participação da Copel no empreendimento.

40 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Usina Hidrelétrica Colíder No Leilão de Energia Nova nº 03/2010, realizado no dia 30 de julho de 2010, a Copel GeT conquistou a concessão para implantação e exploração da UHE Colíder por 35 anos. O Contrato de Concessão nº 01/2011MME-UHE Colíder, de uso de bem público para geração de energia elétrica, foi celebrado entre a União e a Copel GeT em 17 de janeiro de 2011. A usina terá potência instalada de 300,0 MW e garantia física de 179,6 MW médios e está em implantação no rio Teles Pires, no Estado do Mato Grosso. O investimento é de R$ 1,9 bilhão. Foram negociados 125 MW médios à tarifa de R$ 103,40/MWh na data base de 1º de agosto de 2010, com atualização pela variação do IPCA. A energia vendida será fornecida por 30 anos a partir de janeiro de 2015, e a energia restante está disponível para comercialização. A obra encontra-se em fase final de execução. No canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Colíder continuam os trabalhos de montagem dos equipamentos eletromecânicos com os testes nas comportas da tomada d'água e montagem do rotor do gerador da Unidade 1, a supressão vegetal da área do reservatório está em ritmo acelerado. Na casa de força o revestimento do poço da unidade geradora 3 foi lançado, além disso foi realizado o fechamento do segundo vão no vertedouro para construção da ogiva. A data de entrada em operação comercial da unidade 1, prevista inicialmente para 30 de abril de 2016, passou para o segundo semestre de 2016. A Copel GeT está honrando com os CCEARs da UHE Colíder, que totalizam 125 MW médios, utilizando a energia disponível de outras usinas de seu portfólio. Para tanto, a Companhia deixa de vender energia no Mercado de Curto Prazo, ao PLD, para vender ao preço dos CCEARs. Em decorrência de atos do poder público e de casos fortuitos e de força maior ocorridos ao longo da implantação da Usina Hidrelétrica Colíder, a Copel Geração e Transmissão está pleiteando junto à Aneel o reconhecimento de excludente de responsabilidade, no total de 644 dias, referente ao atraso da entrada em operação da usina, previsto inicialmente para 30 de dezembro de 2014. Em 9 de outubro de 2015 a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região deferiu o pedido de antecipação da tutela recursal da Copel GeT, determinando que a Aneel se abstenha de impor à Companhia, até a apreciação do Processo Administrativo nº 48500.000623/2015, qualquer contabilização, depósito, oneração, pagamento, liquidação ou garantia, imputação de multa, débito ou inadimplência, redução de contratos, desconstituição de registro de contratos, desligamentos, gravames, penalidades e/ou restrição de direitos em decorrência da ultrapassagem dos marcos temporais do cronograma original do Contrato de Concessão de Uso de Bem Publico para Geração de Energia nº 01/2011-MME-UHE Colíder, suspendendo-se, ainda, todos e quaisquer ônus a ele relativos.

41 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu A Copel GeT tem participação de 30% no Consórcio Empreendedor Baixo Iguaçu, responsável pela construção e operação da UHE Baixo Iguaçu. A Usina terá potência instalada de 350 MW, garantia física de 172,8 MW médios e está em construção no rio Iguaçu, entre os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques, no sudoeste do Paraná. Parte da energia a ser produzida (121 MW médios) foi comercializada no 7º Leilão de Energia Nova, realizado em 30 de setembro de 2008, por R$ 98,98/MWh. O início da geração comercial da unidade 1, previsto para dezembro de 2017, e das unidades 2 e 3, para janeiro e fevereiro de 2018, respectivamente, sofreram alterações em função da suspensão da Licença de Instalação, conforme a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-RS), ocorrida em 16 de junho de 2014, e que paralisou as obras a partir de seu recebimento em 07 de julho de 2014. Copel Renováveis Complexos Eólicos A Copel Renováveis está ampliando sua matriz de geração de energia com fontes renováveis através da construção de Complexos Eólicos no Rio Grande do Norte, formado por 13 empreendimentos, que totalizam 332,0 MW de capacidade instalada estimada, conforme tabela a seguir: Capacidade Instalada (MW) ²

Garantia Física (MWméd)

Preço ³

Dreen Cutia

25,2

9,6

157,01

Dreen Guajiru

21,6

8,3

157,01

Esperança do Nordeste

30,0

9,1

157,01

Complexo Eólico Cutia

Leilão ¹

6º LER (31/10/2014)

Início de Suprimento

Vencimento da Autorização

97,6

Pedra Grande

jan/42

83,8

Pedra Grande

jan/42

116,1

São Bento do Norte

s5

30,0

10,3

157,01

São Bento do Norte

jan/42

30,0

12,0

157,01

114,9

São Bento do Norte

jan/42

Paraíso dos Ventos do Nordeste

30,0

10,6

157,01

115,7

São Bento do Norte

s5

Potiguar

28,8

11,5

157,01

112,1

São Bento do Norte

s5

São Bento do Norte I

24,2

9,7

148,59

São Bento do Norte

s5

São Bento do Norte II

24,2

10,0

148,59

São Bento do Norte

s5

22,0

9,6

148,59

São Bento do Norte

s5

22,0

8,7

148,59

São Bento do Norte

s5

São Miguel II

22,0

8,4

148,59

São Bento do Norte

s5

São Miguel III

22,0

8,4

148,59

São Bento do Norte

s5

332,0

126,2

153,35

São Bento do Norte III São Miguel I

20ª LEN (28/11/2014)

Total

jan/19

114,9

Valor do Prêmio (R$ milhões)

GE Maria Helena

GE Jangada

out/17

Localização do Parque

CAPEX (R$ milhões)4

532,2

1.287,2

9,4

14,2

23,6

¹ Tipos de Leilões: LER - Leilão de Energia de Reserva / LEN - Leilão de Energia Nova.

² A ca pa ci da de i ns tal a da dos novos projetos poderá s er otimi za da em rel a çã o à ca da s tra da nos l ei l ões . ³ Preço atualizado até setembro/2015. 4 5

O valor do CAPEX corresponde ao registrado na EPE. Em processo de Outorga / Autorização.

42 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 8.2 Transmissão Em operação A tabela a seguir apresenta os contratos de concessão de transmissão e o dimensionamento do parque de subestações e linhas de transmissão em operação:

Contrato de Concessão

Empreendimento

Copel GeT

060/2001²

Copel GeT

Subsidiária / SPE

LT

SE

RAP ¹ Vencimento da (R$ milhões) Concessão

Extensão (km)

Quantidade

MVA

Diversos

1.919

32

12.202

174,9

dez/42

075/2001

LT Bateias - Jaguariaiva

137

-

-

17,2

jul/31

Copel GeT

006/2008

LT Bateias - Pilarzinho

32

-

-

0,9

mar/38

Copel GeT

027/2009 ³

LT Foz - Cascavel Oeste

116

-

-

10,2

nov/39

Copel GeT

015/2010

SE Cerquilho III

-

1

300

4,6

out/40

022/2012

LT Foz do Chopim - Salto Osório LT Londrina - Figueira

98

-

-

5,1

ago/42

2.302

33

12.502

213,0

Copel GeT Subtotal Copel GeT

4

Costa Oeste Copel Get - 51% Eletrosul - 49%

001/2012

LT Cascavel Oeste - Umuarama Sul SE Umuarama Sul

143

1

300

5,8

jan/42

004/2012

Nova Sta Rita - Camaquã

798

1

300

12,4

mai/42

007/2012

LT Guaíra - Umuarama Sul LT Cascavel Norte - Cascavel Oeste SE Santa Quitéria / SE Cascavel Norte

136

2

700

10,8

mai/42

011/2012

LT Açailandia - Miranda II

365

-

-

16,5

mai/42

008/2012

LT Curitiba - Curitiba Leste

28

1

300

14,7

mai/42

Transm. Sul Brasileira Copel GeT - 20% Eletrosul - 80%

Caiuá Transmissora Copel GeT - 49% Elecnor - 51%

Integração Maranhense Copel GeT - 49% Elecnor - 51%

Marumbi Copel GeT - 80% Eletrosul - 20%

Subtotal SPEs 5

1.470

5

1.600

60,2

Total

3.772

38

14.102

273,2

¹ Proporcional à participação da Copel no empreendimento ² Contrato renovado conforme Lei 12.783/13 ³ Valor da RAP atualizada conforme processo de revisão tarifária - Resolução Aneel 1.901/15 4 Resultado Consolidado 5 Resultado por Equivalência Patrimonial

Em construção A Copel GeT está ampliando significativamente a sua participação no segmento de transmissão por meio de investimentos próprios e parcerias em SPEs. Em conjunto, os empreendimentos equivalem a um total de 4.346 km de linhas de transmissão e 10 subestações que irão proporcionar uma RAP atualizada de R$ 736,9 milhões, sendo R$ 301,4 milhões referentes à participação da Copel GeT nos empreendimentos. A seguir estão descritas as principais obras de transmissão em andamento.

43 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Leilão

Assinatura do Contrato

Empreendimento

Local

km

SE

RAP¹ (R$ mi)

CAPEX² (R$ mi)

Entrada em operação estimada

Vencimento da Concessão

Copel GeT

001/10

out/10

LT Araraquara II — Taubaté

SP

356

-

28,4

250,0

dez/16

out/40

37

-

fev/16

fev/43

Copel GeT

007/12

fev/13

7,0

57,8 fev/16

fev/43

Subsidiária / SPE

LT Assis — Paraguaçu Paulista II SP SE Paraguaçu Paulista II

-

1

Copel GeT

007/13

jan/14

LT Bateias - Curitiba Norte

PR

33

1

7,7

69,0

mar/16

jan/44

Copel GeT

001/14

set/14

LT Foz do Chopim - Realeza

PR

53

1

6,4

49,0

mar/17

set/44

Copel GeT

001/14

set/14

LT Assis – Londrina

SP / PR

120

-

16,7

135,0

set/17

set/44

599

3

66,2

560,8

Subtotal Copel GeT Matrinchã Copel GeT - 49% State Grid - 51%

002/12

mai/12

LT Paranaíta - Ribeirãozinho

MT

1.005

3

84,9

882,0

nov/15

mai/42

002/12

mai/12

LT Ribeirãozinho - Marimbondo

MT / GO / MG

600

1

44,5

441,0

nov/15

mai/42

007/12

mai/13

LT Barreiras II - Pirapora II

BA / MG / GO

967

-

29,4

235,2

mai/16

mai/43

007/13

mai/14

LT Araraquara II - Bateias

SP / PR

847

3

100,6

784,6

nov/17

mai/44

001/14

set/14

LT Estreito - Fernão Dias

SP / MG

328

-

42,0

305,8

mar/18

set/44

Guaraciaba Copel GeT - 49% State Grid - 51%

Paranaíba Copel GeT - 24,5% Furnas - 24,5% State Grid - 51%

Mata de Santa Genebra Copel GeT - 50,1% Furnas - 49,9%

Cantareira Copel GeT - 49% Elecnor - 51%

Subtotal SPEs

3.747

7

301,4

2.648,5

Total

4.346

10

367,7

3.209,3

¹ Atualizado de acordo com a Resolução Homologatória Aneel 1.918/2015 de 23.06.2015 (R$ milhões) / Valor referente à participação da Copel no empreendimento. ² Valor de referência da ANEEL (R$ milhões) / Valor referente à participação da Copel no empreendimento.

8.3 Distribuição No negócio distribuição, a Copel atende mais de 4,3 milhões de consumidores de energia em 1.113 localidades, pertencentes a 394 municípios do Paraná e 1 em Santa Catarina. A Copel Distribuição opera e mantém as instalações nos níveis de tensão 13,8 kV, 34,5 kV, 69 kV, 138 kV e algumas de 230kV.

Tensão

Km de linhas

Quantidade de Subestações

MVA

13,8 kV

103.173

-

-

34,5 kV

82.914

227

1.496

69 kV

718

34

2.337

88 kV¹

-

-

5

138 kV

5.577

101

6.814

230 kV

126

-

-

Total

192.508

362

10.651

¹ Não automatizada.

44 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Redes Compactas A Copel Distribuição vem implantando redes compactas em áreas urbanas com elevado grau de arborização nas proximidades das redes de distribuição. Essa tecnologia evita cortes e podas de árvores e melhora a qualidade do fornecimento, pois reduz o número de desligamentos. Ao final de setembro de 2015, a extensão das redes compactas de distribuição instaladas era de 7.605 km. Redes Secundárias Isoladas A Copel Distribuição também está investindo em redes secundárias isoladas em baixa tensão (127/220V), as quais apresentam vantagens significativas em relação à rede aérea convencional, tais como: melhorar os indicadores DEC e FEC, dificultar o roubo de energia, melhorar as condições do meio ambiente, reduzir a área de podas, aumentar a segurança, reduzir a queda de tensão ao longo da rede e aumentar a vida útil dos transformadores pela redução do número de curtos-circuitos na rede, entre outras. Ao final de setembro de 2015, a extensão das redes de distribuição secundárias isoladas instaladas totalizava 14.362 km. Qualidade de Fornecimento Os dois principais indicadores da qualidade do fornecimento de energia elétrica são o DEC e o FEC. A maior severidade dos eventos climáticos em relação aos anos anteriores contribuíram para a elevação dos valores de DEC e FEC verificados em 2014 e início de 2015. O desempenho desses indicadores e o tempo total de atendimento é mostrado na tabela a seguir:

Jan-Set

DEC ¹ (horas)

FEC ² (interrupções)

Tempo Total de Atendimento (horas)

2011

7,58

5,94

01:34

2012

7,00

5,60

01:38

2013

8,02

5,79

01:52

2014

10,05

6,51

01:45

2015

9,42

5,85

02:27

¹ DEC medido em horas e centesimal de horas ² FEC expresso em número de interrupções e centésimos do número de interrupções no acumulado do ano

45 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 8.4 Telecomunicações A Copel Telecomunicações possui um backbone óptico composto por uma rede de transmissão de altíssima capacidade e uma rede de acesso óptico de atendimento aos clientes. A rede de acesso pode ser multiponto (GPON) ou ponto a ponto, conectando assim os clientes à rede de transmissão da Copel Telecom e provendo os serviços contratados. Em setembro de 2015, a rede de cabos de backbone era de 9.793 km e de cabos de acesso 18.212 km. Atualmente são atendidos os 399 municípios do estado do Paraná e mais 2 em Santa Catarina. A Copel Telecom tem apresentado expansão significativa em sua base de clientes nos últimos anos, conforme gráfico a seguir. Número de Clientes - Copel Telecomunicações 41.153

21.761

8.270 1.442 2011

3.141 2012

2013

2014

set/15

Rede de Fibra Óptica - Copel Telecomunicações Mapa do Estado do Paraná

46 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 8.5 Participações Outros Setores A Copel tem participação em empresas de gás, telecomunicações, saneamento e serviços, conforme apresentado na tabela a seguir: Empreendimento

Setor

Sócios

Saneamento

COPEL - 49,0% Andrade Gutierrez - 51,0%

Sanepar

Saneamento

COPEL - 7,6% Governo do Estado do Paraná - 58,7% Dominó Holdings S.A. - 12,2% Daleth Participações - 8,3% Andrade Gutierrez - 2,1% Outros - 11,1%

Compagas

Gás

COPEL - 51,0% Mitsui Gás - 24,5% Gaspetro - 24,5%

Dominó Holdings S.A.

COPEL - 30,0% Petra Energia 1 - 30,0% Bayar Participações -30,0% Tucumann Engenharia - 10,0%

Paraná Gás Exploração e Produção S.A

Petróleo e gás natural

Sercomtel S.A. Telecom

Telecomunicação

COPEL - 45,0% Município de Londrina - 55,0%

Carbocampel S.A.

Exploração de Carvão

COPEL - 49,0% Carbonífera Cambuí - 51,0%

Escoelectric Ltda

Serviços

COPEL - 40,0% Lactec - 60,0%

Copel-Amec Ltda 2

Serviços

COPEL - 48,0% Amec - 47,5% Lactec - 4,5%

1

Empresa Operadora

2

Em liquidação

8.6 Novos Projetos Projetos em Carteira A Copel possui participação em diversos projetos de geração de energia. Esses empreendimentos, quando em operação comercial, acrescentarão 340,6 MW de capacidade instalada ao portfólio da Companhia.

47 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Projeto

Capacidade Instalada Estimada (MW)¹

Energia Assegurada Estimada (MW médio)

PCH

206,2

114,6

PCH Bela Vista

29,0

18,0

36,0

PCH Dois Saltos

25,0

13,6

30,0

PCH Foz do Curucaca

29,5

16,2

15,0

PCH Salto Alemã

29,0

15,9

15,0

PCH São Luiz

26,0

14,3

15,0

PCH Pinhalzinho

10,9

5,9

30,0

PCH Alto Chopim

20,3

11,2

15,0

PCH Burro Branco

10,0

5,1

30,0

PCH Rancho Grande

17,7

9,7

15,0 30,0

PCH Foz do Turvo

Participação da COPEL (%)

8,8

4,7

UHE

331,0

165,5

UHE São Jerônimo

331,0

165,5

EOL

159,0

70,2

60,0

27,4

100,0

99,0

42,8

100,0

696,2

350,3

EOL Complexo Alto Oriente EOL Complexo Jandaia Total

41,2

¹ A ca pa ci da de i ns tal a da dos novos projetos poderá s er otimi za da em rel a çã o à ca da s tra da nos l ei l ões .

Usina Hidrelétrica São Jerônimo O projeto compreende o futuro aproveitamento hidrelétrico São Jerônimo, com potência instalada prevista de 331 MW, localizado no rio Tibagi, no Estado do Paraná. A implantação do empreendimento terá como base a concessão de uso do bem público constante no Edital de Leilão Aneel 02/2001 e que está adjudicada ao Consórcio São Jerônimo, no qual a Copel possui 41,2% de participação. Para o início das obras é necessária a autorização do Congresso Nacional, em conformidade com o artigo 231, parágrafo 3º, da Constituição Federal, visto que o reservatório da usina atinge áreas indígenas. Geração Térmica A Copel está desenvolvendo os estudos de viabilidade de quatro plantas termelétricas a serem construídas no Estado do Paraná que podem acrescentar até 1.773 MW de capacidade instalada ao portfólio da Companhia, conforme tabela a seguir. Projeto

Capacidade Instalada Estimada (MW)

Combustível

Localização

UTE Araucária II ¹

373,0

Gás Natural

Araucária - PR

UTE Litoral

400,0

Gás Natural

Paranaguá - PR

UTE Litoral II

800,0

Gás Natural

Paranaguá - PR

200,0

Carvão Mineral

Sapopema - PR

UTE Norte Pioneiro Total

1.773,0

¹ Já possui Licença Ambiental Prévia e Licença de Instalação junto ao Instituito Ambiental do Paraná .

48 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 A viabilidade dos empreendimentos termelétricos a gás natural Litoral I e II está condicionada a construção de um terminal de regaseificação no litoral do Estado do Paraná, que, caso viabilizado, poderá também ser responsável pelo suprimento de gás natural para a UEGA e para o projeto da UTE Araucária II, e eventualmente até para a Compagas. De forma a garantir o suprimento de gás natural para o projeto da UTE Araucária II, dentre outras alternativas que estão em análise, a Copel também está em negociação junto à Petrobras. Participação em Estudo de Viabilidade Aproveitamentos Hidrelétricos Inventariados no Rio Piquiri As quatro usinas hidrelétricas que compõem o aproveitamento hidrelétrico do rio Piquiri, no Estado do Paraná, tiveram seus estudos de viabilidade apresentados pela Copel GeT e aceitos pela Aneel em 2012. A tabela a seguir lista essas usinas, que totalizam 459,3 MW de capacidade instalada: Projeto

Capacidade Instalada Estimada (MW)

UHE Apertados

139,0

UHE Comissário

140,0

UHE Foz do Piquiri

93,2

UHE Ercilândia

87,1

Total

459,3

Em novembro de 2014 foram realizadas as audiências públicas dos aproveitamentos hidrelétricos Apertados e Ercilândia, cumprindo-se uma das condições legais para a emissão das licenças ambientais dos empreendimentos. Atualmente, os processos de licenciamento ambiental encontram-se em análise pelo Instituto Ambiental do Paraná. A licença ambiental prévia é condição para a habilitação técnica dos empreendimentos nos leilões de energia nova promovidos pela Aneel. Complexo Hidrelétrico do Tapajós A Copel assinou Acordo de Cooperação Técnica com outras oito empresas para desenvolver estudos nos rios Tapajós e Jamanxim, na região Norte do Brasil, compreendendo a avaliação ambiental da Bacia do rio Tapajós e estudos de viabilidade do Complexo do rio Tapajós, composto por cinco usinas, totalizando mais de 12 mil MW de capacidade instalada. As usinas que atualmente estão em estudo são: Jatobá, com 2.338 MW, e São Luiz do Tapajós, a maior delas, com 8.040 MW, ambas no rio Tapajós. Já no rio Jamanxim, serão estudadas futuramente as Usinas de Cachoeira do Caí, Cachoeira dos Patos e Jamanxim. O Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica da Usina de São Luiz do Tapajós (EVTE) foi entregue à Aneel em abril de 2014, para análise. O documento apresenta o estudo das condições econômicas e técnicas que compõem um dos aspectos da viabilidade do empreendimento, e fará parte da documentação que subsidiará o edital de licitação da concessão da usina. Os Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) foram concluídos e entregues ao IBAMA em maio de 2014, sendo aguardado o agendamento das audiências públicas. No momento a * Valores sujeitos a arredondamentos.

49

Earnings Release 3T15 componente indígena está sob a análise de técnicos da FUNAI que estudam os eventuais impactos às comunidades indígenas. Exploração e Produção de Petróleo e Gás Na 12ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), realizado no final de 2013, o consórcio formado pela Copel (30%), Bayar Participações (30%), Tucumann Engenharia (10%) e Petra Energia (30%), essa última na condição de empresa operadora, conquistou o direito de explorar (pesquisar), desenvolver e produzir petróleo e gás natural em 4 blocos localizados na região centro-sul do Estado do Paraná, numa área correspondente a 11.327 km². O investimento mínimo na primeira fase da pesquisa (exploração) é de cerca de R$ 78,1 milhões para o prazo de 4 anos concedido pela ANP. A Copel e suas parceiras Bayar, Tucumann e Petra assinaram os contratos de concessão de 2 blocos em maio de 2014. Os demais estão com suas atividades da primeira fase de exploração do consórcio paralisadas devido a uma Ação Civil Pública e mantém pendentes as assinaturas

Bônus de Assinatura: R$ 12,5 milhões Programa Exploratório: R$ 78,1 milhões

dos contratos de concessão.

9. Outras Informações 9.1 Recursos Humanos O quadro de pessoal da Copel encerrou setembro de 2015 com 8.653 empregados. A tabela a seguir demonstra a evolução do quadro de pessoal da Companhia e suas subsidiárias nos últimos 4 anos: Quadro de Pessoal

2012

2013

2014

set/15

Geração e Transmissão

1.841

1.702

1.554

1.563

Distribuição

7.169

6.375

6.071

6.063

458

434

601

622

Holding

-

136

329

344

Participações

-

-

11

10

Renováveis

-

-

26

51

9.468

8.647

8.592

8.653

Telecomunicações

TOTAL

Ao final de setembro de 2015, a Copel Distribuição contava com 4.391.770 consumidores cativos, cuja relação com o seu quadro de empregados é de 724 consumidores por empregado. A Compagas, a Elejor e a UEG Araucária, empresas consolidadas com a Copel, contavam com 162, 7, e 16 empregados, respectivamente.

50 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 9.2 Principais Indicadores Físicos Capacidade Instalada (MW)

Geração Copel GeT

Copel GeT

Em operação

4.754,6 1

4.732,1

Termelétrica

1

20,0

Eólica

1

2,5

Hidrelétrica

18

Em construção Hidrelétrica

405,0 2

405,0

Copel Holding 277,6 11

Em construção Parques eólicos

277,6 332,0

13

332,0

Participações

Linhas de Transmissão (km)

2.302

Subestações (quantidade)

33

Em construção Linhas de Transmissão (km)

599

Subestações (quantidade)

3

Em operação Linhas de Transmissão (km)

1.470

Subestações (quantidade)

5

Em construção Linhas de Transmissão (km)

Em operação

606,0

Hidrelétrica

5

218,7

Termelétrica

1

387,3

Em construção Parques eólicos 2

Em operação

Participações

Em operação Parques eólicos

Transmissão

52,9 4

52,9

3.747

Subestações (quantidade)

7

Distribuição Linhas e redes de distribuição (km)

192.508

Subestações Potência instalada em subestações (MVA)

Telecomunicações Cabos ópticos de backbone - interurbano (km) Cabos ópticos de acesso - urbano (km) Cidades atendidas no Paraná Cidades atendidas em Santa Catarina Clientes

362 10.651

Municípios atendidos

395

9.793

Localidades atendidas

1.113

18.212

Consumidores cativos

4.391.770

399

Consumidores por empregado da Dis

724

2

DEC (em horas e centesimal de hora)

9,42

FEC (em número de interrupções)

5,85

41.153

Administração Número total de empregados Copel Geração e Transmissão

1.563

Copel Participações

10

Copel Distribuição

6.063

Copel Renováveis

51

Copel Telecomunicações 1

8.653

622

Copel Holding

344

A UHE Capivari-cachoeira e a UHE Mourão tiveram seus contratos de concessão vencidos em 07/07/2015

2

O Complexo Eólico São Miguel do Gostoso I está apto a operar comercialmente , no entanto a operação só terá início após conclusão da obras de transmissão , de responsabilidade do agente de transmissão.

51 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

9.3 Teleconferência sobre Resultados do 3T15 Detalhes sobre a teleconferência que a Copel fará sobre os Resultados do trimestre:  Quinta-feira, 12 de novembro de 2015, às 15h00 (horário de Brasília)  Telefone para acesso (11) 3127-4971 ou (11) 3728-5971  Código: Copel A teleconferência também será transmitida ao vivo pela internet no endereço eletrônico: www.copel.com/ri Solicitamos conectar com 15 minutos de antecedência.

Relações com Investidores – Copel [email protected] Telefone: (41) 3222-2027 Informações contidas neste documento podem incluir considerações futuras e refletem a percepção atual e perspectivas da diretoria sobre a evolução do ambiente macroeconômico, condições da indústria, desempenho da Companhia e resultados financeiros. Quaisquer declarações, expectativas, capacidades, planos e conjecturas contidos neste documento, que não descrevam fatos históricos, tais como informações a respeito da declaração de pagamento de dividendos, a direção futura das operações, a implementação de estratégias operacionais e financeiras relevantes, o programa de investimento, os fatores ou tendências que afetem a condição financeira, liquidez ou resultados das operações são considerações futuras de significado previsto no “U.S. Private Securities Litigation Reform Act” de 1995 e contemplam diversos riscos e incertezas. Não há garantias de que tais resultados venham a ocorrer. As declarações são baseadas em diversos fatores e expectativas, incluindo condições econômicas e mercadológicas, competitividade da indústria e fatores operacionais. Quaisquer mudanças em tais expectativas e fatores podem implicar que o resultado real seja materialmente diferente das expectativas correntes.

52 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

Anexos I – Fluxo de Caixa Consolidado R$ mil Fluxo de Caixa Consolidado

9M15

9M14

Fluxos de caixa das atividades operacionais Lucro líquido do exercício

863.439

1.064.752

1.450.155

1.509.486

Depreci a çã o e Amorti za çã o

503.355

462.465

Va ri a ções monetá ri a s e ca mbi a i s nã o rea l i za da s - l íqui da s

203.931

238.927

Remunera çã o de conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o

(66.340)

(45.210)

Ajustes para a reconciliação do lucro líquido do período com a geração de caixa das atividades operacionais

Res ul ta do de a ti vos e pa s s i vos fi na ncei ros s etori a i s

(322.708)

Res ul ta do da equi va l ênci a pa tri moni a l

(150.901)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos Revers ã o de provi s ã o pa ra perda s com des va l ori za çã o de i nves ti mentos

(120.051)

571.855

674.926

(157.119)

(244.088)

-

(2.168)

Provi s ã o e revers ões opera ci ona i s l íqui da s

497.139

275.913

Provi s ã o pa ra benefíci os pós -emprego

202.057

157.722

Provi s ã o pa ra pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

94.901

84.022

Ba i xa s de conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o

38.664

20.660

Res ul ta do da s ba i xa s de i mobi l i za do

17.614

2.460

Res ul ta do da s ba i xa s de i nta ngívei s

17.707

3.908

Redução (aumento) dos ativos

(640.994)

(286.277)

Aumento (redução) dos passivos

(836.259)

(1.099.227)

836.341

1.188.734

91.593 (29.400) 7.894 -

(192.292) (284)

Aqui s i ções de i nves ti mentos

(273.480)

(395.242)

Aqui s i ções de i mobi l i za do

(672.534)

(609.528)

Aqui s i ções de i nta ngível

(735.923)

(882.036)

Caixa líquido gerado pelas atividades operacionais Fluxos de caixa das atividades de investimento Apl i ca ções fi na ncei ra s Emprés ti mos concedi dos a pa rtes rel a ci ona da s Recebi mento de emprés ti mos concedi dos a pa rtes rel a ci ona da s Aqui s i ções de control a da s - efei to l íqui do do ca i xa a dqui ri do

Pa rti ci pa çã o fi na ncei ra do cons umi dor Caixa líquido gerado (utilizado) nas atividades de investimento

184.239 (1.427.611)

127.673 (1.951.709)

Fluxos de caixa das atividades de financiamento Ingres s os de emprés ti mos e fi na nci a mentos obti dos com tercei ros

1.149.956

121.556

Ingres s os de debêntures emi ti da s

1.008.633

1.372.753

(1.143.591)

(402.602)

Amorti za ções de pri nci pa l de emprés ti mos e fi na nci a mentos Amorti za ções de pri nci pa l de debêntures Di vi dendos e juros s obre o ca pi ta l própri o pa gos Caixa líquido utilizado pelas atividades de financiamento Total dos efeitos no caixa e equivalentes a caixa Sa l do i ni ci a l de ca i xa e equi va l entes a ca i xa Sa l do fi na l de ca i xa e equi va l entes a ca i xa Variação no caixa e equivalentes a caixa

(32.008)

(30.456)

(300.283)

(249.786)

682.707

811.465

91.437

48.490

740.131

1.741.632

831.568 91.437

1.790.122 48.490

53 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

Anexos II – Demonstrações Financeiras - Subsidiárias Integrais Demonstração do Resultado – Copel Geração e Transmissão R$ mil Demonstração do Resultado RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Forneci mento de energi a el étri ca

3T15

2T15

(1)

(2)

595.961

659.580

641.141

Var.% (1/3) (7,0)

9M15 (4)

9M14 (5)

2.164.454

2.294.432

Var.% (4/5) (5,7)

145.575

148.118

(6,6)

424.333

379.358

11,9

349.285

386.409

373.702

(6,5)

1.390.849

1.571.690

(11,5)

Di s poni bi l i da de da rede el étri ca (TUST)

54.844

59.871

57.137

(4,0)

179.605

144.382

24,4

Recei ta de cons truçã o

42.698

55.770

49.765

(14,2)

136.782

166.704

(17,9)

Outra s recei ta s opera ci ona i s

10.846

11.955

12.419

(12,7)

32.885

32.298

1,8

Supri mento de energi a el étri ca

CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

138.288

3T14 (3)

(409.184)

(677.606)

(530.181)

(22,8)

(1.568.271)

(1.277.258)

22,8

Energi a el étri ca compra da pa ra revenda

(51.210)

(221.895)

(175.614)

(70,8)

(292.270)

(225.286)

29,7

Enca rgos de us o da rede el étri ca

(65.690)

(59.156)

(58.842)

11,6

(186.231)

(164.540)

13,2

Pes s oa l e a dmi ni s tra dores

(53.736)

(55.196)

(49.497)

8,6

(162.223)

(146.741)

10,6

Pl a nos previ denci á ri o e a s s i s tenci a l

(14.222)

(13.970)

(12.427)

14,4

(42.691)

(37.479)

13,9

(3.691)

(4.025)

(4.364)

(15,4)

(11.523)

(12.321)

(6,5)

(21.089)

(15.891)

32,7 (6,8)

Ma teri a l Ma téri a -pri ma e i ns umos pa ra produçã o de energi a Servi ços de tercei ros

(7.433)

(7.929)

(6.521)

14,0

(22.557)

(27.503)

(26.459)

(14,7)

(75.536)

(81.036)

Depreci a çã o e a morti za çã o

(67.574)

(69.882)

(72.077)

(6,2)

(209.273)

(217.995)

(4,0)

Provi s ões e revers ões

(11.508)

(115.063)

(29.629)

(61,2)

(251.208)

(86.562)

190,2

Cus to de cons truçã o

(62.475)

(71.701)

(49.498)

26,2

(177.444)

(166.441)

6,6

Outros cus tos e des pes a s opera ci ona i s

(49.088)

(31.286)

(45.253)

8,5

(138.783)

(122.966)

12,9

RESULTADO DE EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

57.802

87.233

65.515

(11,8)

268.356

239.863

11,9

LUCRO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS

244.579

69.207

176.475

38,6

864.539

1.257.037

(31,2)

RESULTADO FINANCEIRO

(14.363)

72.643

36.819

-

61.683

108.679

(43,2)

Recei ta s fi na ncei ra s

19.589

103.698

44.903

(56,4)

140.435

135.699

3,5

Des pes a s fi na ncei ra s

(33.952)

(31.055)

(8.084)

320,0

(78.752)

(27.020)

191,5

LUCRO OPERACIONAL

230.216

141.850

213.294

7,9

926.222

1.365.716

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(58.105)

(18.047)

(47.807)

21,5

(221.759)

(378.912)

(41,5)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

(86.069)

(92.523)

(79.461)

8,3

(386.737)

(487.588)

(20,7)

27.964

74.476

31.654

(11,7)

164.978

108.676

51,8

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

172.111

123.803

165.487

4,0

704.463

986.804

(28,6)

LAJIDA

312.153

139.089

25,6

1.073.812

1.475.032

(27,2)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos

248.552

(32,2)

54 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Demonstração do Resultado – Copel Distribuição R$ mil Demonstração do Resultado RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Forneci mento de energi a el étri ca Supri mento de energi a el étri ca

3T15

2T15

(1)

3T14 (3)

(2)

2.136.489 1.272.494

2.482.152

Var.% (1/3)

2.069.990

9M15 (4) 3,2

1.275.981

1.081.858

17,6

9M14 (5)

7.217.318 3.737.614

Var.% (4/5)

5.327.418

35,5

2.694.832

38,7 (0,3)

64.491

65.312

137.882

(53,2)

204.625

205.320

Di s poni bi l i da de da rede el étri ca (TUSD)

609.793

440.337

548.288

11,2

1.598.813

1.559.455

2,5

Recei ta de cons truçã o

224.453

198.153

268.820

(16,5)

626.758

753.712

(16,8)

(59.678)

478.136

-

24.936

24.233

33.142

Res ul ta do de a ti vos e pa s s i vos fi na ncei ros s etori a i s Outra s recei ta s opera ci ona i s CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(24,8)

979.343

-

70.165

114.099

(38,5)

(2.289.454)

(2.342.808)

(1.967.265)

16,4

(7.241.236)

(5.650.147)

28,2

(1.428.080)

(1.565.620)

(1.179.253)

21,1

(4.777.595)

(3.445.283)

38,7

Enca rgos de us o da rede el étri ca

(160.636)

(146.615)

(119.874)

34,0

(464.947)

(297.712)

56,2

Pes s oa l e a dmi ni s tra dores

(150.365)

(143.388)

(131.225)

14,6

(439.131)

(395.265)

11,1

Pl a nos previ denci á ri o e a s s i s tenci a l

(40.966)

(40.292)

(29.898)

37,0

(123.506)

(90.392)

36,6

Ma teri a l

(14.285)

(12.173)

(13.805)

3,5

(42.385)

(40.745)

4,0

Servi ços de tercei ros

(90.274)

(89.739)

(71.971)

25,4

(262.462)

(205.269)

27,9

Depreci a çã o e a morti za çã o

(67.508)

(56.369)

(55.488)

21,7

(182.968)

(164.740)

11,1

Provi s ões e revers ões

(63.559)

(67.963)

(80.196)

(20,7)

(210.338)

(168.940)

24,5

(224.453)

(198.153)

(268.820)

(16,5)

(626.758)

(753.712)

(16,8)

Outros cus tos e des pes a s opera ci ona i s

(49.328)

(22.496)

(16.735)

194,8

(111.146)

(88.089)

26,2

LUCRO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS

(152.965)

139.344

102.725

-

(23.918)

(322.729)

-

Energi a el étri ca compra da pa ra revenda

Cus to de cons truçã o

RESULTADO FINANCEIRO

43.658

77.912

(24.745)

-

179.500

58.410

207,3

Recei ta s fi na ncei ra s

109.894

130.559

16.283

574,9

370.245

183.050

102,3

Des pes a s fi na ncei ra s

(66.236)

(52.647)

(41.028)

61,4

(190.745)

(124.640)

53,0

(109.307)

217.256

77.980

-

155.582

(264.319)

-

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

36.174

(74.761)

(26.645)

-

(57.383)

86.757

-

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

-

-

(2.337)

-

-

(2.337)

-

36.174

(74.761)

(24.308)

-

(57.383)

89.094

-

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

(73.133)

142.495

51.335

-

98.199

(177.562)

-

LAJIDA

(85.457)

195.713

158.213

-

159.050

(157.989)

-

LUCRO OPERACIONAL

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos

55 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15 Demonstração do Resultado – Copel Telecomunicações Demonstração do Resultado RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

3T15 (1)

2T15 (2)

3T14 (3)

Var.% (1/3)

9M15 (4)

9M14 (5)

Var.% (4/5)

71.504

67.870

54.139

32,1

204.141

151.681

Recei ta de Tel ecomuni ca ções

61.873

58.308

52.641

17,5

174.789

147.077

18,8

Outra s recei tas opera ci ona i s

9.631

9.562

1.498

542,9

29.352

4.604

537,5

CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(50.586)

(45.901)

(32.091)

57,6

(139.733)

(89.397)

56,3

Pes s oa l e a dmi ni s tra dores

(18.872)

(19.372)

(12.622)

49,5

(56.386)

(34.272)

64,5

(4.302)

(4.274)

(2.054)

109,4

(12.968)

(5.970)

Pl a nos previ denci á ri o e a s s i s tenci a l Ma teri a l

34,6

(692)

(484)

(411)

68,4

(1.609)

(994)

61,9

Servi ços de tercei ros

(9.105)

(7.505)

(5.795)

57,1

(24.447)

(15.366)

59,1

Depreci a çã o e a mortiza çã o

(8.087)

(7.666)

(7.145)

13,2

(23.088)

(21.057)

9,6

Provi s ões e revers ões

(1.441)

(778)

(808)

78,3

(3.843)

(2.540)

51,3

Outros cus tos e des pes a s opera ci ona i s

(8.087)

(5.822)

(3.256)

148,4

(17.392)

(9.198)

89,1

20.918

21.969

22.048

(5,1)

64.408

62.284

3,4

453

68

724

(37,4)

995

2.711

(63,3)

LUCRO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS RESULTADO FINANCEIRO Recei tas fi na ncei ra s

949

469

1.110

(14,5)

2.244

3.278

(31,5)

Des pes a s fi na ncei ra s

(496)

(401)

(386)

28,5

(1.249)

(567)

120,3

LUCRO OPERACIONAL

21.371

22.037

22.772

(6,2)

65.403

64.995

0,6

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(7.112)

(7.364)

(7.671)

(7,3)

(21.975)

(21.999)

(0,1)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

(8.616)

(6.423)

(8.520)

1,1

(24.319)

(22.920)

6,1

1.504

(941)

849

77,1

2.344

921

-

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

14.259

14.673

15.101

(5,6)

43.428

42.996

1,0

LAJIDA

29.005

29.635

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos

29.193

(0,6)

87.496

83.341

5,0

56 * Valores sujeitos a arredondamentos.

Earnings Release 3T15

Anexos III – Demonstrações Financeiras por Empresa Balanço Patrimonial por Empresa R$ mil Ativo - Set/15 CIRCULANTE

Geração e Transmissão

Distribuição

Telecom

Compagas

Elejor

UEG Araucária

Outras¹

Elimin. e Reclassif.

Holding

Consolidado

913.846

4.356.204

71.903

218.112

55.772

818.856

171.798

437.560

Ca i xa e equi va l entes de ca i xa

287.427

331.824

12.606

36.554

32.198

7.257

108.893

14.809

-

831.568

Títul os e va l ores mobi l i á ri os

12.263

159

-

6.317

-

365.646

-

164

-

384.549

-

1.696

-

113

-

-

-

-

-

338.375

2.135.949

38.454

159.843

20.504

428.720

(238)

-

(141.590)

13.702

-

-

-

-

-

7.269

181.516

(177.800)

-

-

-

-

-

-

-

104.534

-

104.534 1.236.253

Ca uções e depós i tos vi ncul a dos Cl i entes Di vi dendos a receber Repa s s e CRC a o Es ta do do Pa ra ná Ati vos fi na ncei ros s etori a i s

(323.825)

6.720.226

1.809 2.980.017 24.687

-

1.236.253

-

-

-

-

-

-

-

8.351

-

-

-

-

-

-

-

-

8.351

130.243

-

-

-

-

-

-

-

-

130.243

Outros crédi tos

83.273

459.479

4.513

713

2.842

17.233

49.595

13.600

Es toques

29.130

93.324

11.358

2.139

-

-

-

-

-

135.951

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

1.309

30.687

821

9.984

-

-

3.685

122.490

-

168.976

Outros tri butos correntes a recupera r

5.347

49.623

4.078

2.152

-

-

1.755

-

-

62.955

Des pes a s Anteci pa da s

4.426

17.210

73

297

228

-

150

-

-

22.384

-

-

-

-

-

-

689

447

(1.136)

-

NÃO CIRCULANTE

9.626.847

6.437.760

598.923

363.905

648.000

395.359

1.700.414

15.869.910

(13.947.020)

21.694.098

Realizável a Longo Prazo

1.422.682

5.937.547

84.153

60.548

27.751

208

75.992

2.037.322

(186.067)

9.460.136

97.555

2.880

-

-

-

-

-

-

-

100.435

-

84.024

-

-

-

-

-

-

-

84.024

2.372

37.805

44.982

-

-

-

-

-

-

85.159

-

-

-

-

-

-

-

1.257.061

-

1.257.061

62.153

333.025

7.368

39.784

52

208

127

272.095

-

714.812

-

217.408

-

-

-

-

-

-

-

217.408

Conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o

794.315

4.882.437

-

10.842

-

-

-

-

-

5.687.594

Conta s a receber vi ncul a da s à prorrog da conces s ã o

218.871

-

-

-

-

-

-

-

-

218.871

29.256

11.685

-

-

-

-

-

-

35.353

565

14.580

-

-

-

-

-

76.929

-

92.074

152.475

302.623

26.229

15.335

27.699

-

-

143.492

-

667.853 121.788

Conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o Conta s a receber vi ncul a da s à i ndeni za çã o da conces s ã o

Pa rtes rel a ci ona da s

Títul os e va l ores mobi l i á ri os Ca uções e depós i tos vi ncul a dos Cl i entes Repa s s e CRC a o Es ta do do Pa ra ná Depós i tos judi ci a i s Ati vos fi na ncei ros s etori a i s

Outros crédi tos Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos Outros tri butos a recupera r

(5.588)

(3.299)

627.949

65.120

51.080

5.574

-

-

-

-

14

-

Des pes a s a nteci pa da s

-

-

-

175

-

-

-

-

-

Pa rtes rel a ci ona da s

-

-

-

-

-

-

75.865

287.731

(186.067)

177.529

Investimentos

1.969.360

1.374

-

-

-

-

431.106

13.828.972

(14.180.406)

2.050.406

Imobilizado

6.178.819

-

495.289

-

437.317

394.924

1.192.885

395

-

55.986

498.839

19.481

303.357

182.932

227

431

3.221

419.453

10.793.964

670.826

Intangível TOTAL

10.540.693

582.017

703.772

1.214.215

1.872.212

16.307.470

(14.270.845)

175

8.699.629 1.483.927 28.414.324

Pa rquessujeitos Eól i cos a, Copel Renová vei s e Copel Pa rti ci pa ções *¹ Valores arredondamentos.

57

Earnings Release 3T15 R$ mil Ativo - Set/14 CIRCULANTE

Geração e Transmissão

Distribuição

Telecom

Compagas

Elejor

UEG Araucária

Outras¹

Elimin. e Reclassif.

Holding

Consolidado

1.884.149

2.010.520

54.374

163.244

61.857

756.579

282.699

746.714

1.021.027

230.743

11.481

36.686

39.910

3.987

279.557

166.731

-

1.790.122

106.284

47.446

-

-

-

403.293

-

151

-

557.174

8.042

1.454

-

527

-

-

-

-

-

253.752

1.258.687

25.216

102.161

20.211

342.319

-

-

(101.968)

1.900.378

1.337

-

-

-

-

-

-

448.183

(434.485)

15.035

-

-

-

-

-

-

-

90.773

-

6.626

-

-

-

-

-

-

-

-

6.626

Conta s a receber vi ncul a da s à i ndeni za çã o da conces s ã o

293.467

-

-

-

-

-

-

-

-

293.467

Outros crédi tos

141.944

280.808

3.880

654

1.506

1.149

1.364

18.958

30.104

101.559

9.623

775

-

-

-

-

-

234

8.393

264

2.843

-

-

865

21.918

-

34.517

18.790

64.103

3.906

19.140

-

5.831

9

-

-

111.779

2.542

17.327

4

458

230

-

903

-

-

21.464

-

-

-

-

-

-

1

-

(1)

-

NÃO CIRCULANTE

9.256.583

6.121.974

484.123

301.857

676.156

400.814

303.956

14.927.785

(12.387.856)

20.085.392

Realizável a Longo Prazo

1.012.297

4.778.809

52.652

50.936

30.010

229

2.488

2.025.722

(66.108)

7.887.035

126.970

8.105

-

-

-

-

-

-

-

135.075

-

48.319

-

-

-

-

-

-

-

48.319

4.269

43.751

26.402

-

-

-

-

-

-

74.422

-

-

-

-

-

-

-

1.247.170

-

1.247.170

Ca i xa e equi va l entes de ca i xa Títul os e va l ores mobi l i á ri os Ca uções e depós i tos vi ncul a dos Cl i entes Di vi dendos a receber Repa s s e CRC a o Es ta do do Pa ra ná Conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o

Es toques Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l Outros tri butos correntes a recupera r Des pes a s Anteci pa da s Pa rtes rel a ci ona da s

Títul os e va l ores mobi l i á ri os Ca uções e depós i tos vi ncul a dos Cl i entes Repa s s e CRC a o Governo do Es ta do do Pa ra ná Depós i tos judi ci a i s

(550.845)

(14.391)

5.409.291

10.023

90.773

435.872 142.061

54.396

392.670

5.016

190

37

229

27

273.689

-

726.254

Conta s a receber vi ncul a da s à conces s ã o

592.841

3.483.073

-

270

-

-

-

-

-

4.076.184

Conta s a receber vi ncul a da s à prorrog da conces s ã o

160.218

-

-

-

-

-

160.218

20.165

16.616

-

5.291

-

-

539

13.635

-

-

-

-

-

Outros crédi tos Impos to de renda e contri bui çã o s oci a l Outros tri butos correntes a recupera r

(36)

-

-

171

-

42.207

182.250

-

196.424

52.899

68.810

4.830

35.446

-

-

-

-

-

161.985

Impos to de renda e contri bui çã o s oci a l di feri dos

-

703.830

16.404

9.542

29.973

-

-

129.964

-

889.713

Des pes a s a nteci pa da s

-

-

-

197

-

-

-

-

-

Pa rtes rel a ci ona da s

-

-

-

-

-

-

2.497

192.478

(66.108)

128.867

Investimentos

1.386.022

1.374

-

-

-

-

-

12.899.007

(12.654.324)

1.632.079

Imobilizado

6.808.124

-

416.589

-

454.442

400.442

299.919

49

-

50.140

1.341.791

14.882

250.921

191.704

143

1.549

3.007

332.576

11.140.732

8.132.494

538.497

465.101

738.013

1.157.393

586.655

15.674.499

Intangível TOTAL

(12.938.701)

197

8.379.565 2.186.713 25.494.683

¹ Pa rques Eól i cos , Copel Renová vei s e Copel Pa rti ci pa ções

* Valores sujeitos a arredondamentos.

58

Earnings Release 3T15 R$ mil Passivo -set/15 CIRCULANTE

Geração e Transmissão 1.053.701

Distribuição

Telecom

Compagas

Elejor

UEG Araucária

Outras¹

Holding

Elimin. e Reclassif. (357.230)

Consolidado

2.222.946

78.781

235.700

153.371

189.250

356.800

113.050

49.091

136.344

17.834

7.149

338

261

2.483

14.344

-

-

3.710

-

-

-

28.825

-

(32.535)

-

Fornecedores

385.633

1.086.640

11.310

176.363

15.034

104.503

171.463

5.719

(144.896)

1.811.769

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

241.626

-

2.769

-

1.876

79.981

216

-

-

326.468

61.916

155.584

3.515

14.283

1.695

3.061

2.699

1.371

-

244.124

122.103

97.852

5.901

-

-

-

20.512

29.695

Debêntures

55.409

59.961

-

18.809

40.488

-

123.254

57.536

Di vi dendos a pa ga r

24.000

89.491

31.300

7.168

36.157

-

4.043

4.136

9.332

26.199

1.266

-

-

-

14

3

-

36.814

Enca rgos do cons umi dor a recol her

33.490

361.440

-

-

-

-

-

-

-

394.930

Pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

35.616

116.325

-

-

4.791

1.318

-

-

-

158.050

3.749

-

-

-

51.447

-

-

-

-

55.196

31.736

93.110

1.176

11.928

1.545

126

3.291

246

-

143.158

3.551.165

3.204.158

103.760

49.852

503.096

15.860

752.905

2.293.391

(368.541)

-

-

11.900

-

-

-

248.190

-

(260.090)

14.249

-

-

-

-

-

-

-

-

Obri ga ções s oci a i s e tra ba l hi s ta s Pa rtes Rel a ci ona da s

Outra s obri ga ções fi s ca i s Emprés ti mos e fi na nci a mentos

Benefíci os pós -emprego

Conta s a pa ga r vi ncul a da s à conces s ã o - UBP Outra s conta s a pa ga r NÃO CIRCULANTE Pa rtes Rel a ci ona da s Fornecedores Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos Obri ga ções Fi s ca i s Emprés ti mos e fi na nci a mentos

-

(1.999) (177.800)

4.046.369 227.844

274.064 355.457 18.495

10.105.646 14.249

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

175.757

74.199

4.442

-

-

391

137

1.300

-

256.226

1.197.116

770.302

22.979

-

-

-

270.070

969.011

Debêntures

994.798

999.294

-

41.935

81.099

-

222.000

996.198

-

3.335.324

Benefíci os pós -emprego

236.747

630.776

56.248

4.844

-

-

2.819

9.432

-

940.866

Pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

63.248

161.368

-

-

-

15.469

-

-

-

240.085

Conta s a pa ga r vi ncul a da s à conces s ã o - UBP

41.342

-

-

-

421.997

-

-

-

-

463.339

Outra s conta s a pa ga r

42

-

-

2.374

-

-

9.689

3.959

Provi s ões pa ra l i tígi os

827.866

568.219

8.191

699

-

-

-

313.491

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.935.827

5.366.860

488.285

296.465

47.305

1.009.105

762.507

13.901.029

(13.545.074)

14.262.309

Atribuível aos acionistas da empresa controladora

5.935.827

5.366.860

488.285

296.465

47.305

1.009.105

762.507

13.901.029

(13.906.354)

13.901.029

3.505.994

3.342.841

304.198

220.966

35.503

707.440

644.031

6.910.000

(8.760.973)

6.910.000

-

824.000

-

-

-

-

209.662

-

(1.033.662)

-

1.033.345

(108.193)

4.564

920.829

(911.548)

920.829

Ca pi ta l s oci a l Adi a nta mentos pa ra Futuro Aumento de Ca pi ta l Ajus tes de a va l i a çã o pa tri moni a l

(16.876)

(1.548)

256

-

(104.492)

(3.959) -

3.124.986

12.105 1.718.466

Res erva Lega l

331.298

157.187

12.022

21.238

5.500

23.299

1.177

685.147

(551.721)

685.147

Res erva de retençã o de l ucros

289.415

1.052.826

145.513

37.370

-

-

18.361

4.516.825

(1.543.485)

4.516.825

Di vi dendo a di ci ona l propos to Lucros a cumul a dos / prejuízos a cumul a dos

-

-

-

-

-

-

775.775

98.199

43.428

18.439

6.046

278.366

(115.288)

-

868.228

-

(1.104.965)

10.540.693

10.793.964

670.826

582.017

703.772

1.214.215

1.872.212

16.307.470

(14.270.845)

Atribuível aos acionistas não controladores TOTAL

361.280

868.228 361.280 28.414.324

¹ Pa rques Eól i cos , Copel Renová vei s e Copel Pa rti ci pa ções

* Valores sujeitos a arredondamentos.

59

Earnings Release 3T15 R$ mil Passivo - set/14 CIRCULANTE Obri ga ções s oci a i s e tra ba l hi s ta s

Geração e Transmissão 1.258.590

Distribuição

Telecom

2.475.880

Compagas

50.240

Elejor

64.527

UEG Araucária

133.585

4.747

Outras¹

Holding

1.255

626.089

Elimin. e Reclassif. (1.420.071)

3.194.842

90.950

205.061

22.229

5.230

316

139

-

249

-

909.903

-

-

-

-

-

-

(909.903)

-

Fornecedores

279.818

652.534

9.447

53.958

1.907

3.909

1.123

2.186

(46.267)

958.615

Impos to de renda e contri bui çã o s oci a l

Pa rtes Rel a ci ona da s

-

Consolidado

312.832

-

1.716

1.716

8.818

-

-

-

Outra s obri ga ções fi s ca i s

26.133

170.952

3.395

1.765

30.903

682

132

420

(110)

234.272

Emprés ti mos e fi na nci a mentos

64.662

172.432

3.811

-

-

-

-

540.900

(4.284)

777.521

-

37.512

-

-

40.488

-

-

-

392.525

59.000

7.982

1.208

-

-

-

82.225

6.754

18.316

926

-

-

-

-

-

-

Enca rgos do cons umi dor a recol her

36.153

11.074

-

-

-

-

-

-

-

47.227

Pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

14.654

127.826

-

-

2.575

-

-

-

-

145.055

Debêntures Di vi dendos a pa ga r Benefíci os pós -emprego

Conta s a pa ga r vi nc. à conces s ã o - us o do bem públ i co Outra s conta s a pa ga r NÃO CIRCULANTE Pa rtes rel a ci ona da s Fornecedores Obri ga ções fi s ca i s

-

324.174

(459.507)

325.082

78.000 83.433 25.996

1.653

-

-

-

47.593

-

-

-

-

49.246

32.456

111.270

734

650

985

17

-

109

-

146.221

1.844.503

2.725.514

62.791

5.698

546.601

-

6.027

730.424

(66.762)

-

-

-

-

-

-

5.795

-

(5.795)

-

59.086

-

-

-

-

-

-

-

(1.317)

57.769

5.854.796

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Impos to de renda e contri bui çã o s oci a l di feri dos

456.454

-

-

2.183

-

-

-

-

-

458.637

Emprés ti mos e fi na nci a mentos

449.908

624.489

34.383

-

-

-

-

452.996

-

998.301

-

-

162.104

-

-

-

-

1.160.405

261.200

577.944

25.774

2.807

-

-

-

-

-

867.725

Pes qui s a e des envol vi mento e efi ci ênci a energéti ca

54.190

94.988

-

-

-

-

-

-

-

149.178

Conta s a pa ga r vi nc. à conces s ã o - us o do bem públ i co

31.277

-

-

-

384.197

-

-

-

-

415.474

Outra s conta s a pa ga r

-

-

-

-

-

-

232

-

-

232

Provi s ões pa ra l i tígi os

532.388

429.792

2.634

708

300

-

-

277.428

-

1.243.250

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

6.871.086

3.503.176

360.171

238.386

99.624

707.026

66.195

12.828.375

(11.557.562)

13.116.477

Atribuível aos acionistas da empresa controladora

6.871.086

3.503.176

360.171

238.386

99.624

707.026

66.195

12.828.375

(11.845.664)

12.828.375

(7.319.179)

6.910.000

Debêntures Benefíci os pós -emprego

Ca pi ta l s oci a l

3.505.994

2.624.841

240.398

135.943

35.503

707.440

69.060

6.910.000

(59.650)

Adi a nta mentos pa ra Futuro Aumento de Ca pi ta l

-

Res erva s de ca pi ta l Ajus tes de a va l i a çã o pa tri moni a l Res erva l ega l Res erva de retençã o de l ucros

1.183.516

(139.752)

(2.327)

-

2.088

-

-

1.033.924

(1.043.525)

247.134

135.294

6.706

17.295

2.444

-

8

571.221

(408.881)

571.221

1.123.315

840.155

79.902

69.067

34.827

-

148

3.337.295

(2.147.414)

3.337.295

811.127

42.638

35.492

16.081

24.762

975.935

(926.665)

975.935

-

-

-

-

-

-

-

-

288.102

288.102

9.974.179

8.704.570

473.202

308.611

779.810

711.773

73.477

14.184.888

Di vi dendo a di ci ona l propos to Lucros a cumul a dos Atribuível aos acionistas não controladores TOTAL

1.502.126

1.033.924

(414)

(3.021)

(13.044.395)

22.166.115

¹ Pa rques Eól i cos , Copel Renová vei s e Copel Pa rti ci pa ções * Valores sujeitos a arredondamentos.

60

Earnings Release 3T15 Demonstração do resultado por empresa R$ mil Demonstração do Resultado 9M15 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

Geração e Transmissão

Distribuição

Telecom

Compagas

UEG Araucária

Elejor

Outras¹

Elimin. e Reclassif.

Holding

Consolidado

2.164.454

7.217.318

204.141

1.228.211

175.343

1.406.826

120.501

-

(1.125.666)

11.391.128

424.333

3.737.614

-

-

-

-

-

-

(3.203)

4.158.744

1.390.849

204.625

-

-

175.343

1.406.822

120.501

-

(212.324)

3.085.816

Di s poni bi l i da de da rede el étri ca (TUSD/ TUST)

179.605

1.598.813

-

-

-

-

-

-

(61.067)

1.717.351

Recei ta de cons truçã o

136.782

626.758

-

60.138

-

-

-

-

Tel ecomuni ca ções

-

-

174.789

-

-

-

-

-

(21.106)

153.683

Di s tri bui çã o de gá s ca na l i za do

-

-

-

1.168.073

-

-

-

-

(766.553)

401.520

Res ul ta do de a ti vos e pa s s i vos fi na ncei ros s etori a i s

-

979.343

-

-

-

-

-

-

32.885

70.165

29.352

-

-

4

-

-

Forneci mento de energi a el étri ca Supri mento de energi a el étri ca

Outra s recei ta s opera ci ona i s CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(1.568.271)

(7.241.236)

Energi a el étri ca compra da pa ra revenda

(292.270)

(4.777.595)

-

-

(44.801)

(112.289)

Enca rgos de us o da rede el étri ca

(186.231)

(464.947)

-

-

(7.482)

(14.777)

(7.907)

Pes s oa l e a dmi ni s tra dores

(162.223)

(439.131)

(56.386)

(23.088)

(2.219)

(1.804)

(13.460)

Pl a nos previ denci á ri o e a s s i s tenci a l

(42.691)

(123.506)

(12.968)

(1.684)

(196)

Ma teri a l

(11.523)

(42.385)

(1.609)

(1.328)

(173)

Ma téri a -pri ma e i ns umos pa ra produçã o de energi a

(21.089)

Gá s na tura l e i ns umos pa ra opera çã o de gá s

-

-

-

(222) -

-

(934.478)

70.993

1.129.798

(10.418.107)

-

211.696

(5.015.259)

-

57.877

(623.467)

(49.349)

-

(747.660)

(1.465)

(6.099)

-

(188.609)

(143)

(416)

-

(57.799)

767.547

(188.020)

-

-

-

(1.054.077)

(43.695)

(4.708)

(9.035)

82.962

(357.964)

Depreci a çã o e a morti za çã o

(209.273)

(182.968)

(23.088)

(15.513)

(20.128)

(24.832)

(23.189)

(4.364)

-

(503.355)

Provi s ões e revers ões

(251.208)

(210.338)

(3.843)

(15.827)

401

-

-

(20.283)

3.959

(497.139)

Cus tos de cons truçã o

(177.444)

(626.758)

(60.138)

-

-

-

-

(864.340)

Outros cus tos e des pes a s opera ci ona i s

(138.783)

(111.146)

5.757

(320.418)

268.356

RESULTADO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS

864.539

(23.918)

RESULTADO FINANCEIRO

-

(7.730)

(9.272)

-

(109.295)

(8.293)

(15.770)

-

(169.494)

(12.750)

(17.392)

-

(1.029.227)

979.343

(24.447)

-

(1.054.077)

(90.474)

(61.413)

(262.462)

RESULTADO DA EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

-

(1.200.175)

-

823.678

(75.536)

Servi ços de tercei ros

-

-

(139.733)

-

-

-

(6.333)

(19.749)

-

-

-

-

(12.966)

892.479

(996.968)

150.901

64.408

28.036

84.869

377.599

(61.959)

783.184

(992.836)

1.123.922 154.253

61.683

179.500

995

1.026

(74.968)

41.737

(24.353)

(31.195)

(172)

Recei ta s fi na ncei ra s

140.435

370.245

2.244

7.390

1.828

45.560

10.180

171.828

(984)

748.726

Des pes a s fi na ncei ra s

(78.752)

(190.745)

(1.249)

(6.364)

(76.796)

(3.823)

(34.533)

(203.023)

812

(594.473)

LUCRO OPERACIONAL

926.222

155.582

65.403

29.062

9.901

419.336

(86.312)

751.989

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(221.759)

(57.383)

(21.975)

(10.623)

(3.855)

(140.970)

(3.098)

44.927

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

(386.737)

(24.319)

(10.747)

(2.880)

(140.970)

(5.985)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO Atri buído a os a ci oni s ta s da empres a control a dora Atri buído a os a ci oni s ta s nã o control a dores LAJIDA

-

164.978

(57.383)

2.344

124

(975)

-

704.463

98.199

43.428

18.439

6.046

278.366

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

1.073.812

159.050

87.496

43.549

104.997

402.431

(217)

2.887

45.144

(89.410)

796.916

(38.770)

787.548

(993.008)

1.278.175

-

(414.736)

-

(571.855)

-

157.119

(993.008)

863.439

(992.836)

1.627.277

¹ Pa rques Eól i cos , Copel Renová vei s e Copel Pa rti ci pa ções * Valores sujeitos a arredondamentos.

61

Earnings Release 3T15 Demonstração do Resultado 9M14 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

Geração e Transmissão

Distribuição

Telecom

Compagas

UEG Araucária

Elejor

Outras¹

Elimin. e Reclassif.

Holding

Consolidado

2.294.432

5.327.418

151.681

1.270.394

182.172

1.508.902

-

-

(1.278.869)

9.456.130

379.358

2.694.832

-

-

-

-

-

-

(1.819)

3.072.371

1.571.690

205.320

-

-

182.172

1.503.616

-

-

(223.863)

3.238.935

Di s poni bi l i da de da rede el étri ca (TUSD/ TUST)

144.382

1.559.455

-

-

-

-

-

-

(55.113)

1.648.724

Recei ta de cons truçã o

166.704

753.712

-

51.580

-

-

-

-

Tel ecomuni ca ções

-

-

147.077

-

-

-

-

-

(24.894)

122.183

Di s tri bui çã o de gá s ca na l i za do

-

-

-

1.216.859

-

-

-

-

(944.472)

272.387

32.298

114.099

4.604

1.955

-

5.286

-

-

(28.708)

Forneci mento de energi a el étri ca Supri mento de energi a el étri ca

Outra s recei ta s opera ci ona i s CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(1.277.258)

(5.650.147)

Energi a el étri ca compra da pa ra revenda

(225.286)

(3.445.283)

-

-

(38.781)

Enca rgos de us o da rede el étri ca

(164.540)

(297.712)

-

-

(5.943)

(11.914)

Pes s oa l e a dmi ni s tra dores

(146.741)

(395.265)

(34.272)

(19.263)

(1.996)

(1.090)

(5.947)

Pl a nos previ denci á ri o e a s s i s tenci a l

(37.479)

(90.392)

(5.970)

(1.475)

(64)

Ma teri a l

(12.321)

(40.745)

(994)

(1.331)

(99)

Ma téri a -pri ma e i ns umos pa ra produçã o de energi a

(15.891)

Gá s na tura l e i ns umos pa ra opera çã o de gá s Servi ços de tercei ros

-

(89.397)

-

-

-

-

(1.198.774)

(1.060.586)

(80.852)

(124) -

(1.098.254) -

(1.021.431) -

(7.670)

(94.113)

-

971.996

129.534

1.278.983

(8.217.482)

-

-

223.860

(3.485.490)

-

-

54.248

(425.861)

(67.050)

-

(671.624)

(548)

(8.445)

-

(144.373)

(6)

(353)

-

(55.973)

-

-

944.896

(92.426)

-

-

-

(1.060.586)

(81.036)

(205.269)

(15.366)

(14.357)

(6.502)

(34.453)

(234)

(4.129)

56.086

(305.260)

(217.995)

(164.740)

(21.057)

(12.163)

(20.119)

(25.825)

(1)

(565)

-

(462.465)

Provi s ões e revers ões

(86.562)

(168.940)

(2.540)

(15.838)

(101)

(72)

(1.860)

-

(275.913)

Cus tos de cons truçã o

(166.441)

(753.712)

-

(971.733)

Outros cus tos e des pes a s opera ci ona i s

(122.966)

(88.089)

Depreci a çã o e a morti za çã o

RESULTADO DA EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL RESULTADO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS RESULTADO FINANCEIRO

239.863 1.257.037

-

(9.198)

(51.580) (22.181)

(7.286)

(3.378)

(862)

-

-

-

-

-

(322.729)

62.284

71.620

101.320

410.648

(7.670)

108.679

58.410

2.711

1.411

(53.661)

13.634

9.297

Recei ta s fi na ncei ra s

135.699

183.050

3.278

4.716

2.886

18.740

9.481

Des pes a s fi na ncei ra s

(27.020)

(124.640)

(3.305)

(56.547)

(5.106)

LUCRO OPERACIONAL

(184)

(11.711)

(107)

(265.778)

1.032.500

(1.152.312)

120.051

938.387

(1.152.198)

1.358.699

(115)

136.891

(3.475) 142.975

(1.773)

499.052

(146.450)

1.658

(362.161)

(264.319)

64.995

73.031

47.659

424.282

1.627

934.912

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(378.912)

86.757

(21.999)

(25.614)

(16.198)

(107.350)

(1.302)

33.780

-

(430.838)

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l

(487.588)

(2.337)

(22.920)

(37.231)

(16.198)

(107.350)

(1.302)

-

-

(674.926)

108.676

89.094

-

986.804

1.475.032

Impos to de Renda e Contri bui çã o Soci a l di feri dos LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

1.365.716

(567)

-

(1.152.313)

1.495.590

921

11.617

-

-

-

33.780

(177.562)

42.996

47.417

31.461

316.932

325

968.692

(1.152.313)

1.064.752

244.088

(157.989)

83.341

83.783

121.439

436.473

938.952

(1.152.198)

1.821.164

Atri buído a os a ci oni s ta s da empres a control a dora Atri buído a os a ci oni s ta s nã o control a dores LAJIDA

(7.669)

¹ Pa rques Eól i cos , Copel Renová vei s e Copel Pa rti ci pa ções

* Valores sujeitos a arredondamentos.

62

Earnings Release 3T15 R$ mil Demonstração do Resultado 3T15 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

Geração e Transmissão

Distribuição

Telecom

Compagas

Elejor

UEG Araucária

Outras¹

Elimin. e Reclassif.

Holding

Consolidado

595.961

2.136.489

71.504

348.921

59.985

286.553

63.180

-

(317.405)

3.245.188

Fornecimento de energia elétrica

138.288

1.272.494

-

-

-

-

-

-

(1.196)

1.409.586

Suprimento de energia elétrica

349.285

64.491

-

-

59.985

286.553

63.180

-

(72.304)

751.190

Dis ponibilida de da rede elétrica (TUSD/ TUST)

54.844

609.793

-

-

-

-

-

-

(23.023)

641.614

Receita de cons truçã o

42.698

224.453

-

15.333

-

-

-

-

Telecomunica ções

-

-

61.873

-

-

-

-

-

(7.095)

54.778

Dis tribuiçã o de gá s ca na liza do

-

-

-

333.588

-

-

-

-

(192.745)

140.843

Res ultado de a tivos e pa s s ivos fina nceiros s etoria is

-

(59.678)

-

-

-

-

-

-

Outra s receitas opera ciona is

10.846

24.936

9.631

-

-

-

-

-

CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(409.184)

(2.289.454)

(50.586)

Energia elétrica compra da pa ra revenda

(51.210)

(1.428.080)

-

-

(14.002)

(26.360)

Enca rgos de us o da rede elétrica

(65.690)

(160.636)

-

-

(3.114)

(5.385)

(3.020)

Pes s oa l e a dminis tra dores

(53.736)

(150.365)

(18.872)

(8.402)

(722)

(769)

(4.254)

Pla nos previdenciá rio e a s s is tencia l

(14.222)

(40.966)

(4.302)

(580)

(66)

Ma teria l

(3.691)

(14.285)

(692)

(493)

(78)

Ma téria -prima e ins umos pa ra produçã o de energia

(7.433)

Gá s na tura l e ins umos pa ra opera çã o de gá s

-

-

-

-

-

(353.364)

(298.099)

(30.930)

(141) -

(277.704) -

(240.063) -

-

-

282.484

(59.678)

(21.042)

24.371

317.370

(3.183.363)

-

71.763

(1.447.889)

-

21.086

(216.759)

(16.770)

-

(253.890)

(464)

(2.111)

-

(62.711)

(46)

(147)

-

(19.573)

(51.742)

(37.769)

-

-

192.530

(54.966)

-

-

-

(298.099)

Serviços de terceiros

(22.557)

(90.274)

(9.105)

(4.472)

(3.258)

(16.529)

(2.154)

(3.805)

27.782

(124.372)

Deprecia çã o e a mortiza çã o

(67.574)

(67.508)

(8.087)

(5.791)

(6.710)

(7.515)

(12.860)

(2.201)

-

(178.246)

Provis ões e revers ões

(11.508)

(63.559)

(1.441)

(15.396)

-

-

-

Cus tos de cons truçã o

(62.475)

(224.453)

(15.333)

-

-

-

Outros cus tos e des pes a s opera ciona is

(49.088)

(49.328)

RESULTADO DA EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

57.802

RESULTADO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS

244.579

RESULTADO FINANCEIRO Receitas fina nceira s Des pes a s fina nceira s

-

(8.087) -

(4.798)

(7.299)

-

(209)

(93.447)

-

(302.261) (131.150)

(2.584)

(11.401)

4.418

-

-

20.482

124.533

(143.725)

59.092

(4.443)

29.055

8.849

31.920

86.764

(143.760)

120.917

-

(2.983)

(1.334)

(152.965)

20.918

(14.363)

43.658

453

(421)

(24.330)

24.003

(17.878)

(18.211)

(172)

(7.261)

19.589

109.894

949

2.126

829

24.429

2.551

60.820

(972)

220.215

(33.952)

(66.236)

(496)

(2.547)

(25.159)

(426)

(20.429)

(79.031)

800

(227.476)

LUCRO OPERACIONAL

230.216

(109.307)

21.371

(4.864)

4.725

32.852

14.042

68.553

(143.932)

113.656

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(58.105)

36.174

(7.112)

1.620

(2.107)

(9.717)

(2.032)

19.056

-

(22.223)

Impos to de Renda e Contribuiçã o Socia l

(86.069)

-

(8.616)

6.735

(1.782)

(9.717)

(2.032)

-

-

(101.481)

-

79.258

Impos to de Renda e Contribuiçã o Socia l diferidos LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO Atribuído a os a cionis tas da empres a controla dora Atribuído a os a cionis tas nã o controla dores LAJIDA

27.964

36.174

1.504

(5.115)

(325)

-

-

19.056

172.111

(73.133)

14.259

(3.244)

2.618

23.135

12.010

87.609

-

-

-

-

312.153

(85.457)

-

-

-

-

-

-

-

-

29.005

1.348

35.765

16.364

44.780

88.965

(143.932) (143.760)

91.433 (709.307) (62.699) 299.163

¹ Pa rques Eólicos , Copel Renová veis e Copel Pa rticipa ções

* Valores sujeitos a arredondamentos.

63

Earnings Release 3T15 R$ mil Demonstração do Resultado 3T14 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

Geração e Transmissão

Distribuição

Telecom

Compagas

Elejor

UEG Araucária

Outras¹

Elimin. e Reclassif.

Holding

Consolidado

641.141

2.069.990

54.139

421.030

59.058

465.758

-

-

(424.232)

3.286.884

Fornecimento de energia elétrica

148.118

1.081.858

-

-

-

-

-

-

(746)

1.229.230

Suprimento de energia elétrica

373.702

137.882

-

-

59.058

465.444

-

-

(77.973)

958.113

Dis ponibilidade da rede elétrica (TUSD/ TUST)

57.137

548.288

-

-

-

-

-

-

(18.009)

587.416

Receita de cons trução

49.765

268.820

-

26.852

-

-

-

-

Telecomunicações

-

-

52.641

-

-

-

-

-

(9.750)

42.891

Dis tribuição de gás canalizado

-

-

-

394.177

-

-

-

-

(307.255)

86.922

Outras receitas operacionais

12.419

33.142

1.498

1

-

314

-

-

(10.499)

36.875

CUSTOS E DESPESAS OPERACIONAIS

(530.181)

(1.967.265)

(32.091)

(421.246)

424.229

(2.980.834)

Energia elétrica comprada para revenda

(48.128)

(371.788)

(175.614)

(1.179.253)

-

-

(34.039)

Encargos de us o da rede elétrica

(58.842)

(119.874)

-

-

(2.057)

(4.539)

Pes s oal e adminis tradores

(49.497)

(131.225)

(12.622)

(6.336)

(628)

(381)

(2.188)

Planos previdenciário e as s is tencial

(12.427)

(29.898)

(2.054)

(512)

(53)

Material

(4.364)

(13.805)

(411)

(730)

(36)

Matéria -prima e ins umos para produção de energia

(6.521)

Gás natural e ins umos para operação de gás

-

-

-

-

-

(359.280)

(50) -

-

(2.092)

(343.497) -

(32.272)

-

345.437

-

-

77.973

(1.310.933)

-

-

17.424

(167.888)

(20.309)

-

(223.186)

(195)

(2.615)

-

(47.754)

(4)

(189)

-

(19.589)

-

-

307.702

(42.316)

-

-

-

(359.280)

Serviços de terceiros

(26.459)

(71.971)

(5.795)

(5.258)

(2.186)

(13.157)

470

(1.653)

21.253

(104.756)

Depreciação e amortização

(72.077)

(55.488)

(7.145)

(4.086)

(6.707)

(8.612)

-

(188)

-

(154.303)

Provis ões e revers ões

(29.629)

(80.196)

(808)

(15.961)

(101)

(144)

-

(126.911)

Cus tos de cons trução

(49.498)

(268.820)

-

(345.170)

Outros cus tos e des pes as operacionais

(45.253)

(16.735)

RESULTADO DA EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

65.515

-

-

176.475

102.725

22.048

RESULTADO FINANCEIRO

36.819

(24.745)

Receitas financeiras

44.903

16.283

RESULTADO ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO E TRIBUTOS

Des pes as financeiras

(3.256)

(26.852) (2.231) -

(2.360)

(1.513)

(72) (103) -

(7.174)

(123)

260.031

(290.077)

(78.748) 35.469

(290.080)

341.519

-

-

(216)

10.930

93.970

(2.092)

227.759

724

(493)

(12.455)

9.184

4.018

(29.195)

4

(16.139)

1.110

994

904

9.325

4.095

38.029

(47)

115.596

(8.084)

(41.028)

(386)

(1.487)

(13.359)

(141)

(77)

(67.224)

51

(131.735)

LUCRO OPERACIONAL

213.294

77.980

22.772

(709)

(1.525)

103.154

1.926

198.564

(290.076)

325.380

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(47.807)

(26.645)

(7.671)

83

518

(31.065)

(420)

21.073

-

(91.934)

Impos to de Renda e Contribuição Social

(79.461)

(2.337)

(8.520)

(5.403)

1.051

(31.065)

(420)

-

-

(126.155)

Impos to de Renda e Contribuição Social diferidos

31.654

(24.308)

849

5.486

(533)

-

-

21.073

165.487

51.335

15.101

(626)

(1.007)

72.089

1.506

219.637

Atribuído aos acionis tas da empres a controladora

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Atribuído aos acionis tas não controladores

-

-

-

-

-

-

-

-

-

248.552

158.213

29.193

3.870

17.637

102.582

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

LAJIDA

(2.092)

227.947

(290.076)

(290.080)

34.221 233.446 (749.055) (82.251) 495.822

¹ Parques Eólicos , Copel Renováveis e Copel Participações * Valores sujeitos a arredondamentos.

64